A influencer Gabriela Pugliesi, que mora em São Paulo, postou no Instagram que foi ao Hospital Albert Einstein, na capital paulista, após ter tosse e febre, na noite de terça-feira (10). O caso aconteceu cerca de três dias após o casamento da irmã dela realizado em Itacaré, no sul da Bahia.

A irmã da influencer, Marcela Minelli, casou-se com Marcelo Bezerra no último sábado (7), no resort de luxo Txai, na cidade baiana. Segundo informações de convidados, cerca de 500 pessoas estavam na festa.

“Um monte de gente me ligando aqui. Eu nem falei nada ainda porque nem eu sei o que eu tenho. Acho que uma gripe mesmo. Não estou mais com febre, mas o resultado de coronavírus só sai amanhã. Assim que souber eu vou falar. Minha saúde é de ferro”, disse Gabriela.

Após casamento da irmã na Bahia, Gabriela Pugliesi diz ter sintomas de coronavírus e procura atendimento em São Paulo — Foto: Reprodução/Instagram

Após casamento da irmã na Bahia, Gabriela Pugliesi diz ter sintomas de coronavírus e procura atendimento em São Paulo — Foto: Reprodução/Instagram

Ela falou que fez o teste de coronavírus e está em casa em repouso. O de H1N1, segundo ela, deu negativo. Ela ficou de atualizar os seguidores nesta quinta-feira (12).

“Tive uma febre essa noite, daí eu acordei mal e fui para o hospital. Assim que eu cheguei no hospital eu coloquei a máscara, fiz os exames de todos os vírus possíveis, para ver se tenho alguma coisa ou só uma gripe, porque baixou a imunidade teve festa de casamento, a gente bebeu pra caramba, dormi pouco, na sexta feira a gente ficou dançando a noite toda debaixo de chuva”, disse a influencer.

Convidados do casamento

O marido de Gabriela Pugliesi, Erasmo Viana, postou, também no Instagram, que dois convidados que estavam no casamento foram diagnosticados com coronavírus, mas não há confirmação oficial de que são dois convidados que estão com o vírus. Além disso, Erasmo não deu detalhes dos casos.

A assessoria do resort afirma que um hóspede que participou do casamento de Marcela Minelli, um homem de 26 anos, foi diagnosticado com o coronavírus, mas não se sabe se é caso suspeito ou confirmado. Não há detalhes do estado de saúde dele. O homem viajou para Aspen, nos Estados Unidos, durante o carnaval. A suspeita é que a contaminação tenha ocorrido na cidade americana.

A Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), informou que não há nenhum caso suspeito e nem confirmado em Itacaré, onde fica o resort. O caso desse hóspede, se de fato for confirmado, deve contabilizar em São Paulo, onde ele pode ter sido diagnosticado. A prefeitura de Itacaré também informou que não há nenhum caso suspeito no município baiano.

O resort afirma que nenhum funcionário apresentou sintomas, mas que tomou medidas profiláticas nas instalações do hotel e que todos os funcionários que trabalharam entre sexta (6) e domingo (8), período em que o hóspede esteve no local, estão sendo observados pela equipe de enfermagem do resort.

Casamento de Marcela Minelli e Marcelo Bezerra ocorreu em resort de Itacaré, no sul da Bahia — Foto: Reprodução/Instagram

Casamento de Marcela Minelli e Marcelo Bezerra ocorreu em resort de Itacaré, no sul da Bahia — Foto: Reprodução/Instagram

Terceiro caso na Bahia

A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) informou, na tarde de quarta-feira, que está confirmado o terceiro caso do novo coronavírus no estado da Bahia. O resultado foi confirmando por meio de testes e não tem qualquer relação com a festa em Itacaré.

A Sesab disse que a paciente é uma mulher de 68 anos, que teve contato domiciliar com a segunda paciente do estado com o COVID-19, quando ela ainda estava sintomática. Segundo a Sesab, a paciente está com sintomas leves, em isolamento domiciliar, adotando as medidas de precaução de contato.

Este é o segundo caso de transmissão local do vírus na Bahia. A primeira ocorrência foi um caso importado, de uma mulher de 34 anos, residente na cidade de Feira de Santana, que retornou da Itália em 25 de fevereiro, com passagens por Milão e Roma, onde aconteceu a contaminação.

A primeira transmissão local do vírus também foi em uma mulher de 42 anos, trabalhadora doméstica, que teve contato domiciliar com a primeira paciente do estado com o coronavírus, quando ainda esta ainda estava sintomática. A terceira paciente é a mãe da doméstica.

Amostras foram coletadas na residência e analisadas pelo Laboratório Central de Saúde Pública da Bahia (Lacen-BA), que, de acordo com a Sesab, a partir desta semana foi autorizado a realizar os exames para detectar diretamente o Covid-19, sem necessidade de contraprova em laboratório de referência nacional.

A Secretaria de Saúde de feira de Santana afirmou que os cuidados com a mãe da doméstica, agora que se confirma ser portadora do vírus, devem ser redobrados.

Ainda segundo o órgão, na mesma família, já havia dado negativo exames feitos nos dois filhos, na cunhada e no marido dela. Também deu negativo os exames das duas filhas da primeira infectada – a mulher que esteve na Itália –, a babá das crianças e um tio da paciente que trabalha como motorista.

Notificações

A Bahia registrou 187 casos suspeitos de Covid-19 (coronavírus), de janeiro até as 17h desta quarta-feira (11). A informação foi divulgada através de uma nota conjunta da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) e Secretaria Municipal de Saúde de Salvador.

Desse total, 133 casos foram descartados e 51 aguardam análise laboratorial. Ao todo, 25 municípios da Bahia fizeram notificações oficiais. O diagnóstico positivo para o novo coronavírus pode cursar com grau leve, moderado ou grave.

A depender da situação clínica, pode ser atendido em unidades primárias de atenção básica, unidades secundárias ou precisar de internação. Mesmo definindo unidades de referência, não significa que ele só pode ser atendido em hospital.

Os casos graves devem ser encaminhados a um hospital de referência para isolamento e tratamento. Os casos leves devem ser acompanhados pela Atenção Primária em Saúde (APS) e instituídas medidas de precaução domiciliar.

Compartilhar