Em notas técnicas publicadas nesta quinta-feira, 25, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária recomendou a obrigatoriedade da vacinação contra a Covid-19 para a entrada de estrangeiros no Brasil. Conforme o órgão, a segunda dose ou dose única deve ser aplicada no mínimo 14 dias antes da chegada ao país. Atualmente, este não é um critério exigido para entrada no Brasil.

“A inexistência de uma política de cobrança dos certificados de vacinação pode propiciar que o Brasil se torne um dos países de escolha para os turistas e viajantes não vacinados, o que é indesejado do ponto de vista do risco que esse grupo representa para a população brasileira e para o Sistema Único de Saúde”, afirma a agência.

A recomendação da Anvisa é que sejam aceitas as vacinas aprovadas pelo próprio órgão ou pela Organização Mundial de Saúde (OMS), para qualquer tipo de entrada.

A Anvisa já aprovou os imunizantes da Pfizer, Oxford/AstraZeneca, Johnson e Coronavac. Além desses, a OMS também já valida as vacinas da Moderna, Sinopharm e Covaxin.

Em nota, o Ministério da Saúde afirma que “os critérios para a entrada de estrangeiros ou brasileiros vindos do exterior são elaborados de forma integrada e interministerial, visando sempre a segurança e o bem-estar da população brasileira”. A pasta não informou ainda, porém, se a exigência da vacinação será colocada em prática.

Compartilhar