Formado por ações de empresas de tecnologia, o índice Nasdaq bateu recorde histórico de fechamento ontem, em alta de 1,11%, a 10.056 pontos. O bom desempenho das companhias do setor, que tem se destacado em demanda em meio ao período de isolamento social, têm ajudado a valorizar a bolsa de tecnologia americana. Nesta segunda, 22, quem ajudou nesse movimento de alta foi a Apple, que fez diversos anúncios em sua conferência de desenvolvedores anual, a WWDC.

O principal deles foi a notícia de que a empresa passará a fabricar os chips de seus computadores Mac, rompendo uma parceria de mais de uma década com a Intel. A notícia, era esperada pelo mercado desde 2018, animou os investidores, levando o papel da empresa a subir 2,62%.

Primeira empresa americana a bater US$ 1,5 trilhão em valor de mercado, a Apple hoje está em seu recorde histórico de valorização, em US$ 1,56 trilhão. Ela é seguida de perto pela Microsoft, que teve alta de 2,78% e está cotada em US$ 1,51 trilhão.

Troca

Os novos processadores criados pela Apple serão chamados de Apple Silicon e trazem a promessa de melhor desempenho do processador e da área gráfica. A empresa afirma ainda que os chips terão menor consumo de energia, o que tem impacto sobre a bateria – um dos itens mais levados em consideração pelos consumidores na hora de escolher um eletrônico.

Segundo consultores do mercado, a Apple decidiu fazer a substituição porque estava insatisfeita com a baixa performance dos chips Intel nos últimos anos.

Com uma solução própria, assim como ocorre com os processadores que operam no iPhone, no iPad e no Apple Watch, a companhia quer aumentar performance e diminuir a dependência de terceiros. A mudança deve ter início somente na próxima linha de computadores a serem vendidos em 2021, dando tempo de os desenvolvedores se prepararem para a mudança.

Compartilhar