A American Airlines retirou de um voo um passageiro que se recusou a usar máscara, item obrigatório nas viagens para tentar evitar as transmissões do novo coronavírus.

Segundo o comunicado divulgado pela companhia, o passageiro Brandon Straka foi retirado do avião por não cumprir a exigência no voo que ia de Nova York para Dallas. É o primeiro caso do tipo em um dos voos da empresa.

“Depois que ele se recusou a seguir as instruções dadas pela tripulação, nossos funcionários pediram para que ele saísse do avião. Ele insistiu e o voo partiu com quatro minutos de atraso”, diz o comunicado da American Airlines.

Embora o uso da máscara não seja lei, as companhias aéreas criaram suas regras para a retomada dos voos durante a pandemia. Sendo assim os passageiros precisar agir de acordo.

Em entrevista à CNN, o passageiro disse que foi abordado de forma “agressiva” por um dos tripulantes. “O voo estava quase saindo quando a aeromoça me disse que eu precisava estar de máscara, e eu respondi que não tinha uma. Fiquei irritado com o fato de que não houve diálogo. ‘Isso não é uma lei’, eu disse a ela”.

Depois do incidente, a companhia realocou Straka em outro voo, após ele concordou em cumprir as políticas da empresa, segundo a companhia aérea. Ele disse à CNN que retirou a máscara assim que o avião decolou e que não houve reclamação. A American Airlines informou que vai entrar em contato com ele para esclarecer toda a situação.

Um repórter do jornal “New York Times” estava no voo e gravou o momento em que a discussão acontece.

Segundo dados da universidade John Hopkins, que faz o levantamento dos casos em todo o mundo, os Estados Unidos têm hoje 2.163.290 casos do novo coronavírus, e 117.717 mortes em decorrência da covid-19.

Compartilhar