“Não dá para contar história nenhuma porque esse troço ruim não deixa. Só se eu botar esse demônio lá fora… Se você tornar conversar eu vou furar sua cabeça de tanto dar murro e você vai ter que ficar quieto, viu? E cala a boca, cala a boca, que a menina vai contar a história. Peraí, deixa esse troço parar de rinchar”. Essas foram as palavras de uma professora da Creche Municipal Odete Moraes Coelho, que fica em Jacobina, a uma criança em sala de aula na última terça-feira (19).

A atitude da professora causou repúdio na ex-secretária de Políticas para Mulheres, Infância e Juventude Taissa Gama, que apontou a ameaça como um “absurdo e um atentado à educação baiana”. “O que isso tem a ver com educação? O que isso tem a ver com cuidado, com carinho e amor? É esse o propósito das escolas e creches? Não podemos permitir que nossas crianças sejam vítimas de violência física e psicológica como esta. É necessário preparar melhor os profissionais que estão, sim, responsáveis pelas nossas crianças no tempo que as mesmas estão nos centro educacionais. É necessário responder essas perguntas para que possamos mudar o quadro da educação em nosso estado”, bradou Taissa.

Após a divulgação de um vídeo que rodou as redes sociais a Prefeitura de Jacobina, através da Secretaria Municipal de Educação E Cultura, resolveu afastar a professora até que a Polícia Civil, que teve registro de Boletim de Ocorrência feito pela mãe da criança, tenha um parecer do caso. Ao total, a creche atende 142 alunos no ditrito de Novo Paraíso, na zona rural do município.

Em nota, a Prefeitura afirmou que já possui o vídeo com o ato de violência verbal e que enviou uma equipe ao distrito para ouvir todas as partes envovidas. Além disso, foi informado que uma equipe do CRAS local atendeu a família da vítima e junto ao CREAS irá fazer um acompanhamento. Segundo a nota, uma psicopedadoda também acompanhará o aluno.

Compartilhar