Nos últimos quatro meses, um total de de 30.077 m³ de água, o equivalente a 12 piscinas olímpicas, foi economizado pelo Aeroporto de Salvador. Os números foram divulgados pela Vinci Airports, concessionária do aeroporto, e refletem uma série de iniciativas adotadas para atingir a meta de redução do consumo de água em 50% até 2030.

Entre as iniciativas adotadas pelo Salvador Bahia Airport estão ações como o reuso de água e a redução da vazão nas torneiras, além da implantação de uma Estação de Tratamento de Efluentes (ETE) com 99,5% de eficiência. Por conta das ações, o aeroporto soteropolitano  passou a reaproveitar o recurso. Atualmente, 37% da água consumida é de reuso e utilizada nas descargas dos sanitários e áreas verdes do Aeroporto.

Também para economizar água, mais da metade das torneiras do aeroporto (257) recebeu bicos arejadores, que reduzem a vazão de água sem afetar a percepção do usuário. Até maio, este índice chegará a 100%.

“Apesar dos bons resultados obtidos, continuamos estudando e buscando novas alternativas tanto para o abastecimento de água do aeroporto quanto para a redução do consumo de água, de forma a atingirmos a nossa meta de reduzir o nosso consumo de água pela metade”, pontua Rodrigo Tavares, gerente de Meio Ambiente do Salvador Bahia Airport. 

Meta Global
A redução do consumo de água pela metade até 2030 é uma das metas da AirPact, estratégia ambiental global da VINCI Airports para todos os seus 45 aeroportos. Ela está alinhada com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável. A iniciativa contempla ainda outros objetivos, como eliminar o uso de pesticidas, não dispensar resíduos sólidos para aterro e reduzir pela metade a sua pegada de carbono.

Compartilhar