Um adolescente de 12 anos morreu após cair do 9° andar do Hotel Mercure Salvador Boulevard, no bairro do Caminho das Árvores, em Salvador, na manhã desta segunda-feira (23). Segundo as primeiras informações da família passadas para a polícia, o garoto, de prenome Felipe, era sonâmbulo e isso pode ter provocado o acidente.

O corpo do adolescente caiu na área da piscina – onde foi analisado por peritos do Departamento de Policia Técnica (DPT) na manhã desta segunda. Apesar de a circunstância do acidente ainda não ter sido esclarecida, peritos disseram que o apartamento onde o garoto estava não tem rede de proteção. Agentes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) também foram ao local.

(Foto: Mauro Akin Nassor)

A Polícia Militar foi acionada por volta das 7h, horário, em que, segundo fucionários, ocorreu o acidente. De acordo com as primeiras informações que chegaram à polícia, o adolescente estava hospedado no apartamento do tio. Só estariam os dois dentro do imóvel. Após o episódio, uma unidade do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionada, mas um médico constatou a morte da vítima assim que chegou.

O hotel divulgou uma nota em que lamenta o fato. “O Mercure Salvador Boulevard lamenta o ocorrido e informa que está prestando o suporte necessário à família e às autoridades. O hotel informa ainda que o edifício é um condo-hotel e o fato ocorreu em uma propriedade privada, não operada pelo hotel”.

Os parentes do menino estavam no saguão do hotel, mas não quiseram falar sobre o assunto. A imprensa não tinha autorização para entrar no estabelecimento.

Investigação
O diretor do DHPP, delegado José Bezerra disse que, a princípio, o caso está sendo investigado como um acidente decorrente do estado de sonambulismo do garoto. “A família disse que Felipe já apresentou esse tipo de comportamento, o sonambulismo, outras vezes. Essa é a nossa principal hipótese”, declarou o delegado.

Segundo ele, Felipe não fazia nenhum tipo de tratamento. “Apesar do problema do menino, a família disse que ele não fazia uso de  nenhum tipo de medicamento”, disse Bezerra.

O delegado falou sobre o andamento da investigação. “O apartamento não tinha rede de proteção, mas todos os exames estão sendo realizados e também serão pedidos complementares. Agora é ouvir todas as pessoas. Já prestaram alguns esclarecimentos a família do menino, o proprietário do apartamento e o responsável pelo hotel. Iremos ouvir mais pessoas à tarde, inclusive funcionários”, declarou Bezerra.

O delegado disse ainda que Felipe era acostumado a frequentar o apartamento do tio. “Ele ia algumas vezes passar o final de semana com a família onde um parente tem um apartamento para aproveitar a estrutura da área social”, contou.

Apesar das inúmeras recusas, alguns hóspedes falaram sobre o clima no hotel. “De repente, a gente vê um monte de policiais, a correria entre os funcionários e a gente pergunta o que está acontecendo e eles não dizem nada. Fiquei sabendo agora, pela imprensa, que um garoto morreu ao cair de um dos apartamentos”, declarou a cearence Veridiane Rabelo quando entreva num táxi junto com os dois filhos.

O turista de Belo Horizonte, Eduardo Alves,  também não obteve resposta do hotel sobre o que estava acontecendo por volta das 8h. “A gente  tinha saído do café da manhã quando vimos os policiais no hall. Pedimos informação, mas ninguém passou nada”.

Confira a íntegra da nota da Polícia Militar
“Na manhã desta segunda-feira (23), por volta das 7h, policiais militares da 35ª CIPM (Iguatemi) foram acionados pelo Cicom após informações de que havia um corpo de uma criança, de 12 anos, caída ao solo em frente a um hotel localizado na Rua Ewerton Visco. Ao chegar à localidade, a guarnição da PM encontrou uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) que constatou o óbito. Em seguida, os PMs fizeram o isolamento da área e solicitaram os agentes do Departamento de Polícia Técnica (DPT) para remoção. Para mais informações contatar a Polícia Civil que investigará o fato”.  

Compartilhar