Presidente nacional do DEM, o prefeito ACM Neto se recusou, ontem, a falar sobre a eleição de 2022. A declaração ocorreu após o governador baiano Rui Costa (PT) admitir o interesse de ser candidato a presidente da República em 2022.

“Ainda é muito cedo para se falar sobre 2022. Muita gente aqui na Bahia especula que eu posso ser candidato a governador. Outros, inclusive, acham que eu posso ter um projeto nacional, e eu me recuso a tratar disso. Tivemos uma eleição no ano passado. Estamos em um período que não é de debate político, vivemos uma crise séria no país. As pessoas esperam maturidade e responsabilidade dos políticos. Vejo muita gente se apressando e se colocando como candidato. Eu prefiro adotar uma outra postura e um outro caminho, que é focar no trabalho. Na hora certa, vamos tratar de eleição. Mas entendo também que cada um tem seu jeito e seu estilo, não vou ser censor de ninguém”, declarou, em entrevista à imprensa.

O prefeito voltou a falar sobre o projeto de vereador Henrique Carballal (PV) aprovado pela Câmara de Salvador que acaba com o Arrastão na Quarta-Feira de Cinzas. “Acompanhei pela imprensa a manifestação de Leo Santana e de outros artistas a favor do veto ao projeto. Vou esperar o projeto chegar à prefeitura nesta semana. E, a partir da leitura da redação final, vou tomar uma decisão. Mas, eu já disse e quero repetir: a questão religiosa não será levada em consideração. Na minha opinião, não há conflito entre a existência do Arrastão na Quarta-Feira de Cinzas e o início da Quaresma. Com todo o respeito ao calendário da Igreja Católica, mas o Arrastão já acontece há quase 20 anos, sem que isso signifique qualquer desrespeito à fé sagrada”, afirmou Neto, ao criticar a Câmara. “Acho, inclusive, que a Câmara Municipal deveria ter debatido esse projeto antes de Votar com a sociedade, os artistas, o Conselho do Carnaval, a prefeitura, e não o fez. Mas vamos aguardar. Não quero me antecipar, porque Procuradoria-Geral do Município tem que se manifestar sobre o assunto. Tão logo o projeto chegue, nós vamos manifestar a nossa opinião”, emendou.

Neto também reiterou que o Democratas analisa a situação do deputado federal Luís Miranda (DEM), que é acusado de dar golpes no Brasil e no exterior. “O partido está acompanhando a situação do deputado Luís Miranda. Ele apresentou na quarta-feira da semana passada a suas alegações e estão sendo analisadas pela área jurídica do Democratas”, pontuou.

Compartilhar