As medidas restritivas mais severas para conter a propagação do coronavírus, serão mantidas em quatro bairros de Salvador, informou o prefeito ACM Neto, nesta sexta-feira (14), durante coletiva de inauguração da nova Avenida Sete e praça Castro Alves.

“As medidas vencem amanhã, mas eu preciso anunciar hoje. Nós vamos prorrogar por mais sete dias nos bairros de Pirajá, Mata Escura, Pernambués e Santa Cruz. O Nordeste [de Amaralina], eu anunciei ontem, e o retorno a São Cristóvão [também]. Nenhuma atividade econômica em nenhum desses bairros pode funcionar”, disse Neto.

Segundo o prefeito, os bairros que receberam medidas restritivas continuam com números altos de casos. Pernambués, por exemplo, conforme último dado divulgado pela Secretaria Municipal da Saúde, lidera lista de localidades com mais casos de Covid-19, com 2.255 infectados.

Por causa do anúncio da continuidade das medidas restritivas, os comerciantes do Nordeste de Amaralina fizeram um protesto nesta sexta-feira, no bairro. Durante a coletiva, o prefeito informou que ficou ciente da manifestação e que entende a situação dos comerciantes, mas os números da Covid-19 no bairro estão altos e as medidas são necessárias.

“Entendo a chateação dos comerciantes do Nordeste de Amaralina porque nós estamos indo para a sexta semana lá. Mas infelizmente, eu não tenho o que fazer. Ou a comunidade vai se ajudar ou eu não tenho o que fazer. Quantas vezes vimos imagens de paredão no Nordeste? Aglomeração nas ruas? A resposta está aí. Eu não quero penalizar os moradores. O que estamos fazendo é cuidar da saúde das pessoas. A gente está fazendo teste de Covid no Nordeste há seis semanas e há seis semanas esse teste não dá menos que 33% de casos positivos”, disse, Neto.

Ainda sobre o Nordeste, o prefeito informou que autorizou mais uma entrega de cestas básicas no bairro para comerciantes, feirantes e ambulantes.

“Está mais do que provado, e o Nordeste é exemplo disse, que não adianta a prefeitura fazer sozinha. Autorizei nova distribuição de cestas básicas para ambulantes e feirantes, espero que seja a última semana. Uma parte dos moradores do Nordeste precisa se conscientizar que não dá para fazer paredão, não dá pra fazer festa, porque o resultado disso é penalizar o comerciante. Mas eu, como prefeito, não posso fechar os olhos para os dados alarmantes no Nordeste e em Santa Cruz”, disse.

O prefeito também detalhou sobre a taxa de casos confirmados da Covid-19 por meio dos testes rápidos que são realizados no bairros onde ocorrem as restrições.,

“Santa Cruz, que nós entramos semana passada, que eu estou prorrogando mais uma semana, está dando 41%. Santa Cruz e Nordeste está um do lado do outro. Quando a gente pega a lista de bairros com maior número de casos nos últimos 30 dias e nos últimos 7 dias, dá Pernambués, Nordeste, Santa Cruz e São Cristóvão.Esses são os lugares mais preocupantes da nossa cidade”, revelou.

Sete de Setembro e 3ª fase de abertura do comércio

Shoppings de Salvador voltaram a funcionar na segunda fase de reabertura do comércio no mês de julho — Foto: Reprodução/TV Bahia

Shoppings de Salvador voltaram a funcionar na segunda fase de reabertura do comércio no mês de julho — Foto: Reprodução

Na coletiva, o prefeito também foi perguntado sobre a realização do desfile de 7 de Setembro e a próxima fase de reabertura do comércio, a fase 3.

Sobre o 7 de Setembro, Dia da Independência do Brasil, o prefeito informou que o desfile tradicional não ocorrerá.

“Não conversei com as forças armadas. Assim como nós tivemos que suspender o desfile do 2 de Julho, não haverá o desfile de 7 de Setembro. Vou, oportunamente, falar com os comandantes, e pode ser que façamos algo simbólico, porém sem que traga qualquer risco de aglomeração. Da forma convencional, não vai acontecer”, revelou ACM Neto.

Já sobre a terceira fase de abertura do comércio, o prefeito disse que o cenário segue sendo avaliado, mesmo que, pelo quarto dia seguido, a taxa de leitos de UTI em Salvador para Covid-19 tenha se mantido. Na quinta-feira, o índice foi de 60%.

Para a cidade ingressar na fase três da retomada, é preciso, além de cinco dias com a taxa de ocupação dos leitos em até 60%, que haja um intervalo de 14 dias entre as fases.

“Se a gente chegar hoje [sexta] ao quinto dia, a terceira fase pode ser iniciada da segunda que vem a oito. Depende de como as coisas vão acontecer, se comportar. A abertura da segunda fase não nos trouxe maiores dores de cabeça. Vamos aguardar para ver como as coisas avançam. [A 3ª fase] Nunca será antes de 24 de agosto. Pode ser que nem seja nesse dia também, precisamos aguardar como as coisas ficam”, completou.

Obras da Av. Sete e Praça Castro Alves são entregues; artefatos históricos achados na intervenção serão expostos, diz ACM Neto

As obras de requalificação da Avenida Sete de Setembro e da Praça Castro Alves foram entregues pela prefeitura de Salvador, em solenidade realizada na praça do poeta, na manhã desta sexta-feira (14). Na cerimônia de entrega, o prefeito ACM Neto informou que artefatos históricos encontrados durante intervenções serão expostos.

Conforme a prefeitura, as intervenções foram feitas em trecho que vai da Casa D’Itália até a Praça Castro Alves. Nesse mesmo sentido (em direção ao Pelourinho), o passeio do lado esquerdo foi alargado, saindo de 2,5m para 5m de largura.

“Mais adiante, pós pandemia, venham para o Centro Histórico, venham para a cidade de vocês. A cidade é nossa”, reforçou o prefeito.

O calçamento de pedra portuguesa foi renovado, o que preservou as características históricas originais do local, inclusive os brasões existentes em alguns pontos. Além disso, foram colocados piso tátil e rampas de acessibilidade.

“Quando nos deparamos com o projeto da Avenida Sete, o primeiro desafio era esse: temos que preservar a história. Precisa partir do princípio que temos um espaço urbano que traduz o que é essa cidade de 471 anos”, disse o prefeito ACM Neto.

Durante as obras de requalificação, equipes de arqueologia encontraram artefatos históricos e até estrutura de uma construção antiga. Além disso, cerâmicas do século XVI, moedas e ossos estão entre os mais de 6 mil artefatos achados.

“Estamos no ajuste final do projeto, concebido pela prefeitura com o estado, para que tudo se harmonize. Nós tomamos a decisão, em valor do respeito do patrimônio cultural encontrado. Não há nenhuma hipótese de cobrir os achados. Eles serão expostos para o povo de Salvador”, falou o prefeito ACM Neto.

Ruínas de construção foram encontradas em escavação de obra em Salvador — Foto: Arquivo Pessoal

Ruínas de construção foram encontradas em escavação de obra em Salvador — Foto: Arquivo Pessoal

Segundo aponta a prefeitura, mais de 12 mil artefatos históricos foram resgatados na região. Por se tratar de um sítio arqueológico, as escavações para obra de requalificação da Avenida Sete de Setembro e Praça Castro Alves tiveram aprovação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), mediante estudo prévio da região.

Os trabalhos de arqueologia tiveram três etapas: prospecção, resgate e monitoramento. A prefeitura informou que o Iphan acompanhou todos os achados durante as obras e autorizou o resgate do material do solo. No decorrer do trabalho de sondagem arqueológica, que durou mais de seis meses, foram 108 pontos de intervenção ao longo da via, número 65% maior do que o previsto inicialmente, de 66 furos.

De acordo com o prefeito, as obras de requalificação custaram R$ 30 milhões.

Intervenções

Nova Praça Castro Alves, em Salvador — Foto: Divulgação/Secom

Nova Praça Castro Alves, em Salvador — Foto: Divulgação/Secom

Sobre as intervenções, a prefeitura detalhou que foram implantadas rede de água e de esgoto secundárias. As fiações de telecomunicação foram rebaixadas em dutos subterrâneos. A iluminação agora está com lâmpadas em LED.

De acordo com a gestão municipal, a Avenida Sete ganhou ainda espaços anexados às calçadas, destinados ao lazer e convivência, chamados de parklets. São três áreas de 11 metros de comprimento e 2,2 metros de largura, que possuem lixeiras, jardineiras, bancos e paraciclos.

Os parklets ficam nos seguintes trechos da avenida: um próximo à Rua da Forca, outro na entrada da Rua do Cabeça e o último próximo do acesso ao Beco Maria da Paz. Todos do lado esquerdo de quem segue pela avenida em direção à Praça Castro Alves.

Já o asfalto da pista no entorno da praça, uma das principais de Salvador, foi retirado e substituído por piso em paralelepípedo, como era antigamente. Além disso, o espaço é compartilhado entre pedestres e veículos, em mesmo nível. A circulação dos automóveis foi separada com a instalação de defesas de concreto.

A revitalização foi dividida em quatro etapas: a primeira da Casa D’Itália ao Largo do Rosário; a segunda, da Igreja do Rosário ao Relógio de São Pedro; a terceira, do Relógio de São Pedro ao Edifício Sulacap; e a última, do Sulacap à Praça Castro Alves.

Compartilhar