O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), falou sobre a possibilidade de ser candidato à presidência em 2022. O assunto voltou à tona após fala do presidente Jair Bolsonaro (PSL) durante a inauguração do Aeroporto Glauber Rocha, em Vitória da Conquista.  Durante o evento, o chefe do executivo federal fez afagos ao aliado baiano. Chamou-o de “garoto” e mencionou seu avô, o ex-governador da Bahia Antônio Carlos Magalhães. “Te chamo de garoto porque você é muito mais novo do que eu. Lá na frente você ocupará a cadeira honrosa que ocupo”, afirmou.

“Tenho que ficar feliz, porque acho que a Bahia há muito tempo, principalmente depois que o senador ACM morreu, precisa ter lideranças com perspectivas nacionais concretas. Quem sabe um dia. Ter um presidente baiano seria uma coisa muito boa para a nossa terra. Mas isso não pode ser projeto meu e nem sonho, é destino”, declarou, ontem, durante coletiva de imprensa após a ordem de serviço da reforma da sede da Guarda Civil Municipal, em Salvador. “Tenho uma coisa na minha natureza: tenho pé no chão. Não fico viajando muito no futuro, porque senão você acaba esquecendo do presente”.

Ainda no evento, o presidente nacional do DEM afirmou que a sigla tem interesse em conversar com parlamentares do PDT e PSB que votaram a favor da Reforma da Previdência. Oito parlamentares pedetistas, incluindo o baiano Alex Santana, foram punidos pelo apoio à Reforma da Previdência. O partido decidiu também que até o fim do processo os deputados ficarão suspensos de suas atividades partidárias.

“O PDT é um partido que tem parlamentares de muita qualidade. O Democratas, ao contrário de outros partidos, não vai ficar tratando disso publicamente como se fosse um leilão. Nós temos que primeiro aguardar para saber qual é de fato o tratamento que o PSB e o PDT principalmente vão dar para os deputados que votaram a favor da Reforma da Previdência”, avaliou ao ser questionado sobre o assunto após a ordem de serviço da reforma da sede da Guarda Civil Municipal.

“Se o caminho for o de realmente sair desses partidos, pode ser que o Democratas tenha interesse em conversar com alguns desses parlamentares. Mas é claro que a gente não vai se antecipar a decisão dos partidos por uma questão de ética e respeito mútuo entre os partidos. Caso a decisão seja tomada no sentido de expulsar ou que esses parlamentares não tenham condição de permanência, vamos avaliar se o Democratas vai trazer algum desses nomes para o seus quadros”.

Compartilhar