O prefeito ACM Neto (DEM) se manifestou, na manhã deste sábado (5), sobre a 24ª Operação da Lava Jato, que conduziu coercitivamente (quando a pessoa é levada forçadamente para depor) o ex-presidente Lula (PT) para prestar depoimento a respeito do esquema de corrupção na Petrobras.

Em entrevista, o gestor municipal endossou a declaração do deputado federal José Carlos Araújo (DEM), para quem, o ex-presidente Lula pensava que estava acima da lei. “Não tem nenhuma autoridade no Brasil que esteja acima da lei e, sobretudo, das investigações do Ministério Público e da Polícia Federal. É preciso aguardar o desdobramento dessas investigações para saber efetivamente se o ex-presidente participou ou não dos atos ilícitos”, disse Neto.

Ainda na entrevista, o prefeito condenou os ataques à condução coercitiva do ex-presidente por parte de aliados do petista. “Não concordo e nem acho razoável que exista essa reação política a um fato que pode sujeitar qualquer cidadão. O ex-presidente é um cidadão como um outro qualquer”, afirmou.

Aletheia

A Operação Lava Jato chegou nesta sexta-feira (4) a 24ª fase. Segundo a Polícia Federal, a operação ocorreu na casa do ex-presidente Lula, em São Bernardo do Campo, e em outros pontos em São Paulo, no Rio de Janeiro e na Bahia.

O Instituto Lula divulgou a nota avaliando a operação como “violenta”, “injustificada” e “agressiva”. Ao todo, foram expedidos 44 mandados judiciais, sendo 33 de busca e apreensão e 11 de condução coercitiva. Duzentos policiais federais e 30 auditores da Receita Federal participam da ação, que foi batizada de “Aletheia”.

Compartilhar