Os alunos do Fundamental 2 e da Educação para Jovens e Adultos (EJA) da rede municipal de Salvador terão, já no fim deste mês, uma nova plataforma de conteúdo para compensar a suspensão das aulas em função da pandemia de coronavírus. Acompanhado do secretário de Educação, Bruno Barral, o prefeito ACM Neto anunciou na manhã desta segunda-feira (22) que os estudantes poderão acompanhar teleaulas pela TV aberta, pelos canais 4.2 e 4.3, a partir do próximo dia 30.

A medida tem como objetivo fornecer conteúdo para o máximo possível de alunos da rede municipal, já que muitos estudantes não possuem livre acesso de internet para acompanhar aulas on-line.

“Dessa maneira, imaginamos que será mais fácil o aluno ter acesso ao conteúdo. Se de um lado há limitação no acesso a internet, o acesso a TV aberta é mais amplo. Normalmente toda casa tem uma televisão”, explicou o prefeito.

O conteúdo será distribuído por horário. Na faixa da manhã, alunos de duas séries terão acesso às aulas. No turno da tarde, as duas turmas restantes poderão acompanhar o conteúdo correspondente ao ano em que estão cursando.

Transmissão de aulas começará a ser feita em 30 de junho — Foto: Reproduçãoi/Facebook

Transmissão de aulas começará a ser feita em 30 de junho — Foto: Reproduçãoi/Facebook

O prefeito destacou que a gravação das aulas já está em curso e passa pelo acompanhamento pedagógico da Secretaria de Educação.

Outra medida anunciada por ACM Neto foi a distribuição de 33 mil chips de celular com pacote de dados para estudantes da rede municipal. O chip terá uso exclusivo para acesso a aulas on-line na plataforma da prefeitura. As escolas inseridas no programa também receberão dois tablets com chips de dados móveis e voz para acompanhar os alunos.

Árvore de livros e acolhimento aos alunos

ACM Neto anunciou ainda uma parceria com a plataforma digital de leitura Árvore de Livros. Todos os alunos do 9º ano da rede municipal, além dos professores, terão acesso à ferramenta, que conta com mais de 30 mil títulos.

De acordo com o prefeito, a estratégia visa promover uma evolução da prática da leitura. Os alunos serão acompanhados e existirá um ranking para apontar os que se destacarem.

“A gente sabe que o aluno da rede pública tem mais dificuldade em desenvolver a leitura, por conta de deficiência no momento da alfabetização. Por isso, criamos essa plataforma e vamos acompanhar o desenvolvimento desse aluno. Termos um ranking da leitura para ver quem está lendo mais, quem está lendo melhor. Queremos algo que mobilize a nossa rede”, comentou.

O prefeito informou, por fim, que os estudantes e profissionais da área de Educação passarão por um acompanhamento psicopedagógico e psicológico, durante a pandemia e no momento da retomada das aulas, como meio de acolhimento sócio emocional da comunidade escolar.

O serviço, que será desenvolvido em parceria com universidades, estará disponível em 23 espaços, envolvendo 30 profissionais e 500 estagiários. A ideia é beneficiar 143 mil estudantes e 12 mil profissionais de Educação.

O programa prevê a realização de lives, rodas de conversa, seminários e oficinas de psicoeducação.

Sem previsão para retomada das aulas

Suspensas desde março, as aulas ainda não possuem uma data definida para serem retomadas na capital baiana. ACM Neto afirmou que espera não precisar cancelar o ano letivo de 2020. Para tanto, será preciso adotar algumas medidas que incluem estender a realização de aulas do ano em curso até 2021.

“Acho que vamos conseguir assegurar o ano letivo. Tenho conversado com a rede particular de ensino. A ideia é ter um calendário modificado. Vamos ter que invadir 2021, sacrificar as férias. Nossa ideia, nosso objetivo é preservar o ano letivo. Quero tranquilizar as famílias e alunos, dizer que tudo será feito com esse propósito”, informou.

O prefeito da capital baiana também pontuou que, quando houver condições para a retomada das aulas presenciais, as escolas precisarão respeitar uma série de medidas. Ele deu exemplos de um protocolo que deverá ser seguido.

“Estamos analisando as ações que vamos tomar, principalmente para assegurar o respeito ao isolamento, as regras de higienização. Não sei se vamos obrigar a testagem de todos os alunos antes das aulas. Não está fechado ainda. Vamos ter protocolos muito rígidos de higienização. Vamos ter que fazer uma reorganização das salas de aula. Teremos que disponibilizar álcool em gel, pias para que os alunos lavem as mãos. Orientar que os professores ensinem as crianças como fazer a higienização, o que é importante, a criança influencia dentro de casa. Muito provavelmente vamos medir a temperatura de todos que entram na escola. A gente pode também, na lógica de setorização, verificar escolas de regiões com maior número de casos e fazer testes. Estamos discutindo possibilidades. Tenham certeza que só vamos voltar com as aulas quando houver segurança e com protocolos rígidos, para não jogar fora todo o esforço que foi feito até agora”, disse o prefeito.

Segundo o último boletim da Secretaria de Saúde do estado (Sesab), Salvador possui 23.411 pessoas diagnosticadas com coronavírus, com 904 mortes em decorrência da doença.

Compartilhar