A Uber lançou a partir desta segunda-feira (10) em Salvador e outras cidades um recurso em fase de testes que permite a gravação de conversas durante viagens feitas pela plataforma tanto por usuários quanto por motoristas. A intenção é reforçar a segurança durante o Carnaval. O arquivo de áudio poderá ser usado para reportar à Uber acontecimentos que tenham deixado qualquer das partes desconfortáveis.

Batizada de U-Áudio, a ferramenta foi anunciado em um evento da plataforma no ano passado, que trazia novas estratégias para melhorar a segurança. Com ela, ao final da viagem, tanto o usuário quanto o motorista terão a opção de relatar um incidente de segurança, anexando o arquivo de gravação de áudio.

(Foto: Reprodução)

A Uber diz que o áudio ficará criptografado, armazenado diretamente no dispositivo de quem fez a gravação e a empresa só terá acesso se uma das partes escolher compartilhar com ela, como parte de uma queixa. Segundo a Uber, a  gravação com autorização de apenas uma das partes da conversa é legal.

“Tornar as viagens realizadas pela plataforma mais seguras é prioridade da empresa. O U-Áudio é um recurso extra para nos ajudar a entender o que ocorreu durante uma viagem em que algo deu errado. Queremos tomar as medidas apropriadas e esse arquivo pode ajudar nossos agentes de suporte neste processo. É importante destacar que só conseguimos ouvir o conteúdo quando o usuário ou o motorista nos enviam. O arquivo de áudio permanece criptografado no dispositivo e o usuário pode compartilhá-lo sempre que quiser “, explica Marcello Azambuja, diretor da Uber Tech Center no Brasil.

Depois do envio do áudio, o arquivo será aberto pela Uber para tentar entender melhor o incidente relatado, ajudando a tomar uma decisão sobre as medidas certas. Uma gravação poderá ser usada para apoiar a decisão de desativar um motorista ou usuário, seguindo o Código de Conduta da Uber. O arquivo também poderá ser usado para ajudar em investigações ou ser compartilhado com autoridades, seguindo o processo legal devido.

Enquanto estiver na fase de testes, a ferramenta fica configurada para apagar os arquivos de áudio de maneira automática depois de uma semana da corrida.

A empresa diz que todos os usuários e motoristas receberão aviso de que o recurso está disponível e que todos podem estar sujeitos à gravação de áudio. A chave de criptografia ficará apenas com a Uber, que a usará somente após uma denúncia. A gravação não poderá ser ouvida no dispositivo do usuário, do motorista, nem poderá ser compartilhada com terceiros.

Compartilhar