Por Jairo Costa Jr.

A equipe da Procuradoria-Geral da República (PGR) escalada para tocar a Faroeste prepara uma nova fase da operação para ser deflagrada logo após o Carnaval. Segundo informaram fontes com acesso ao caso, os alvos estão sendo mantidos em sigilo, mas a lista contém nomes que não constam entre os investigados nas primeiras fases da operação, incluindo magistrados do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ). Ainda de acordo com as mesmas fontes, há grande expectativa de que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) autorize parte dos pedidos de novas prisões feitos pela PGR no âmbito da investigação sobre um suposto esquema de grilagem e venda de sentenças no TJ. Dias atrás, a Procuradoria esteve prestes a entrar em campo, mas foram detectados vazamentos sobre a data em que a ação seria realizada.

Efeito cascata
A nova etapa da Faroeste, de acordo com o foi apurado pela coluna, é baseada sobretudo em novos detalhes e indícios revelados na delação premiada feita por um dos alvos sob a mira da PGR. Conforme noticiado na edição do último dia 30, o acordo de colaboração levou à descoberta de outras ramificações do esquema no TJ.

Com informações do Correio da Bahia

Compartilhar