Pré-candidatos do PT entram em campo diante de indefinição

Fabya Reis vestiu a camisa do Bahia na inauguração do novo Centro de Treinamento do clube

Por: Henrique Brinco

Os pré-candidatos do PT já estão se movimentando diante da letargia do governador Rui Costa em definir qual candidato irá apoiar. No fim de semana, duas delas colocaram a “cara” na rua: Vilma Reis e Fabya Reis. Juca Ferreira e Robinson Almeida, outros dois pré-candidatos, utilizam fortemente as redes sociais para apresentar as propostas.

A socióloga realizou uma sessão plenária com correligionários, onde apresentou seus projetos para enfrentar os desafios de Salvador em sete pontos, destacando aspectos como o Direito à Cidade, Moradia, Responsabilidade com o Meio Ambiente, Atenção Integrada e Humanizada à Saúde, Educação com destaque às creches, Mobilidade e Transporte Coletivos, Soluções Criativas para geração de renda, emprego e economia solidária, e a valorização dos corredores culturais de Salvador.

Já Fabya não perdeu tempo, deixou a timidez de lado e vestiu a camisa do Bahia na inauguração do novo Centro de Treinamento do clube, localizado na divisa entre os municípios de Camaçari e Dias D’Ávila. Em tom empolgado, ela elogiou o espaço. “Tudo muito bem feito, muito bonito, moderno e com equipamentos importantes que vão ajudar na preparação do nosso time”, destacou. A secretária estadual de Promoção da Igualdade Racial afirmou que conversa dentro do PT para “fazer frente e trazer um projeto de inclusão para uma Salvador democrática”.

Vale lembrar que o PT continua em “ritmo de tartaruga” na definição do candidato oficial da sigla para o Palácio Thomé de Souza. Projeções mais otimistas dão conta de que Rui Costa só vai chancelar um nome a partir de março. O presidente do Bahia, Guilherme Bellintani, inclusive, chegou a ser cotado para representar o grupo, mas desistiu.

DENICE E O PT

A Major Denice, outra cotada para integrar o grupo, confirmou que Rui marcou uma reunião para os próximos dias para discutir uma eventual candidatura dela para a prefeitura de Salvador em 2020. A policial se mostra cada vez mais aberta à possibilidade de entrar na disputa contra Bruno Reis (DEM).

Questionada pela reportagem se teria alguma restrição em se filiar ao grupo petista, ela é enfática. “Não tenho nenhuma restrição. Inclusive, tenho proximidade com as pautas de esquerda”, ressaltou. Indagada novamente, e especificamente, sobre a possível filiação ao partido, ela diz: “Tenho proximidade com as pautas do PT”.

Major Denice é a carta na manga do Palácio de Ondina diante da desistência de Bellintani, de entrar na corrida eleitoral contra o grupo carlista. A policial goza de credibilidade, já que é criadora da Ronda Maria da Penha, projeto que lhe deu projeção nacional. O entendimento de Rui é que Denice poderá ser aceita pela militância petista de “raiz”, que defende cada vez mais enfaticamente a necessidade de uma candidata negra.

Compartilhar