Kelly Key rebate críticas a “corpo masculinizado”: “Me amo assim”

Kelly lançou o primeiro single, Escondido, pela Warner Music, aos 18 anos. Hoje, diz enxergar com tranquilidade as mudanças no mercado da indústria fonográfica nessas quase duas décadas.

Kelly Key está de volta à música após hiato de quatro anos na carreira de cantora, período em que ganhou destaque como influenciadora digital fitness. Em bate-papo exclusivo com o UOL, nos bastidores do TVZ, no Multishow, a cantora de 36 anos falou sobre maturidade, pressão estética, plásticas e “tribunal das redes”.

Kelly lançou o primeiro single, Escondido, pela Warner Music, aos 18 anos. Hoje, diz enxergar com tranquilidade as mudanças no mercado da indústria fonográfica nessas quase duas décadas. “Vinte anos depois, tenho uma forma muito mais suave de ver as coisas. Estou em um esquema muito íntimo com as pessoas.”

A maturidade também se revelou em sua volta aos palcos na festa Chá da Alice, organizada em novembro por seu empresário, Pablo Falcão, em São Paulo. “Vivo uma outra fase hoje em dia”, analisa.

A cantora dispensa comparações entre a Kelly de agora com a adolescente do início da carreira, mas diz preferir a versão atual.

“Não dá para comparar. Sou uma nova versão de mim. Tudo evoluiu. Estou me relacionando super bem com essas mudanças. Aprendi a ter mais segurança até mesmo para delegar funções. Que bom que a gente não faz 36 anos só para ter rugas [risos]”, ironiza.

A principal mudança de Kelly foi nos hábitos alimentares e estilo de vida. A carioca se tornou referência nesse mercado digital, lucrando com anúncios e parcerias durante o período em que ela se afastou dos palcos. A cantora, que diz ter se encontrado como youtuber, dá dicas sobre o assunto em suas redes sociais, no Youtube e em palestras pelo Brasil. E não pretende abrir mão dessa fonte de renda pela música.

“Acabei de ganhar um prêmio de influenciadora fitness. Não tenho que ter uma divisão entre a Kelly Key fitness e a cantora. Acho que tudo está junto. É a minha vida. Estou em uma idade também que comecei a pensar no meu futuro e ele está completamente interligado à qualidade de vida que temos”, defende.

Kelly Key explica que começou a praticar exercícios e fazer dieta motivada por problemas de saúde. “Quando você faz dieta e se exercita, não necessariamente, você está querendo só um abdômen tanquinho e o bumbum durinho. Comecei a treinar, por problemas de saúde. Tenho hérnia de disco em duas vértebras e um problema no joelho”, justifica.

Mas não esconde o acalento no ego que os resultados da dedicação ao corpo lhe proporcionaram. Os elogios despertaram o interesse em dividir sua rotina e passar a lucrar com a influência exercida sobre seu público virtual.

“Consequentemente, as formas ficaram mais exuberantes e as pessoas começam a reparar e falar sobre. Como a gente está na era da internet, eu compartilho tudo sobre isso. Falar sobre dieta é fazer amigos”, afirma.

Plásticas? “Após 3 filhos, não tem outra opção”
Ao mesmo tempo em que a temática fitness trouxe dinheiro, vieram junto cobranças para que ela exiba um corpo “impecável”. No entanto, Kelly diz que não se sente pressionada. “Sou muito tranquila em relação a essas coisas. Sempre fiz tudo de uma forma muito suave, mas com muito comprometimento”, pondera.

Nas redes, ela não se sente afetada com as críticas de haters. A cantora diz que acham seu corpo “masculinizado” por contas dos músculos definidos.

Não sou perfeita. Recebo críticas. As pessoas dizem que sou toda masculina, cheia de músculos. Mas eu gosto, me aceito e me amo assim. Tem que haver um respeito, porque as pessoas são donas das suas escolhas

Kelly diz que os movimentos feministas de aceitação do corpo real ainda são pequenos perto dos padrões já impostos pela sociedade. “Continuam pregando a magreza. É hipocrisia dizer que não. As pessoas continuam crucificando quem está fora do ‘padrão'”, avalia.

Após o nascimento do terceiro filho, Artur Freitas, de 2 anos, ela se submeteu a uma cirurgia plástica nos seios, mostrando que não está imune ao desconforto causado por não se ver como gostaria no espelho.

Se precisar fazer [cirurgia plástica], vou fazer. Sou desencanada com isso. Depois de três filhos, a gente não tem outra opção, se quiser ter os peitinhos durinhos, como os meus estão agora [risos]. Os peitos não vão voltar para o lugar naturalmente. Pesei 90 kg três vezes na minha vida e está tudo bem, porque quando estava com este peso, estava muito feliz

Kelly também é mãe de Suzanna, de 19 anos, fruto do seu relacionamento com Latino. Ela está há 15 anos com o empresário Mico Freitas, pai de seus dois outros filhos.

Na semana passada, ela apresentou o programa TVZ ao vivo em sua homenagem e recordou de um momento especial.

“É a segunda vez que venho fazer o TVZ. A primeira, estava grávida do meu primeiro filho [Jaime Vitor Fretas, de 14 anos]. Nem eu sabia. Achava que era uma retenção de líquido [risos]”, revela Kelly, que também relembrou ter entrado no meio artístico como apresentadora, em 1999, no Samba, Pagode & Cia., na Globo, ao lado de Salgadinho e Netinho de Paula.

“Foi a realização de um grande sonho da minha vida fazer aquilo. Quando acabou o programa, fiquei deprimida. Pensei que nunca mais fosse ter a oportunidade de trabalhar na televisão novamente e aqui estou fazendo o que amo”, declara-se.

Compartilhar