Suspeito de mais de 30 homicídios é morto pela polícia em churrasco na Mata Escura

Três homens foram presos e um morto durante a ação

Por Eduardo Dias – Correio da Bahia

Um homem suspeito de cometer mais de 30 homicídios foi morto durante uma ação policial, em um churrasco, na tarde de terça-feira (19), numa localidade conhecida como Jamaica, no bairro da Mata Escura, próximo à Avenida Gal Costa. Outros três homens foram presos e outros fugiram.

Morto na ação, Luan Chastinet Ribeiro era apontado pela polícia como um dos líderes do tráfico de drogas no bairro do Engenho Velho de Brotas e acusado de alguns crimes de grande repercussão na capital baiana. Um deles é o do pugilista baiano Jorge Rosa de Jesus, de 41 anos, o Niola, ex-campeão brasileiro de boxe, que foi fuzilado com vários tiros em sua casa, no Porto da Barra. Ele também teve participação em um triplo homicídio em São Caetano, em 2015, e cerca de 30 outros homicídios em Salvador.

A morte ocorreu durante uma ação policial conjunta entre a Polícia Civil e a Polícia de Rondas Especiais (Rondesp Central), que prendeu ainda outros três suspeitos em flagrante: Murilo Vinicius Costa dos Santos, 24 anos, Gleisson Aragão dos Santos, 28, e Jordan Conceição Moreira, 24. O trio foi apresentado na manhã desta quarta (20), na sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), no bairro da Pituba.

Os três foram autuados por porte ilegal de armas de uso restrito e tentativa de homicídios contra os policiais. No churrasco, estavam outros “cerca de 10 suspeitos”, que conseguiram fugir e estão foragidos, segundo a polícia.

Jordan, Gleisson e Murilo foram apresentados pela polícia no DHPP, na Pituba
(Foto: Eduardo Dias)

De acordo com a Polícia Civil, Luan, que já foi preso em 2015, foi baleado após invadir uma residência armado com uma espingarda de calibre doze. Ele, que já havia sido preso há quatro anos, chegou a ser socorrido para o Hospital Roberto Santos, mas não resistiu e morreu na unidade de saúde.

Já Murilo Vinicius, Gleisson  e Jordan  receberam os policiais a tiros na comunidade e foram capturados. De acordo com a polícia, os três são apontados como integrantes do tráfico de drogas na região e respondem por roubos e homicídios. Com eles, foram encontradas duas espingardas de calibre doze, uma submetralhadora de 9 milímetros, além de drogas e coletes balísticos.

Armas e coletes foram encontrados com os suspeitos
(Foto: Eduardo Dias)

Durante a apresentação, o delegado do DHPP Central, Guilherme Machado, disse que o trio é extremamente perigoso. “Todos são tidos como traficantes e homicidas perigosos. Todos eles são autores de múltiplos homicídios em Salvador. Foi um trabalho de excelência da Polícia Militar, que resultou na retirada desses criminosos de circulação que vinham impactando na vida das pessoas na capital”, afirmou.

Já o major Wildon Reis, da Rondesp Central, disse que as equipes receberam denúncias sobre a atuação dos criminosos em Salvador, o que provocou uma maior intensificação de rondas na localidade da Jamaica.

“Recebemos um informe de que havia criminosos armados realizando um churrasco em frente a uma residência na comunidade. Quando chegamos, fomos recebidos a tiros. Que fique claro, a intenção da Rondesp não é matar ninguém. Os três que estão sendo apresentados não resistiram, então não efetuamos nenhum disparo, houve uma negociação. Era um momento de crise, mas nosso efetivo é extremamente treinado para situações como essas, principalmente quando envolve crianças”, afirmou.

Delegado Guilherme Machado e o major Wildon apresentaram os detalhes das prisões
(Foto: Mauro Akin Nassor)

Crimes
Durante a ação policial, Jordan, um dos suspeitos apresentados, estava armado com uma submetralhadora e fugiu para dentro de outra residência. Antes de se entregar, pegou o filho de cinco anos no colo, apontou a arma para a cabeça do menino e ameaçou matá-lo, caso a polícia avançasse.

Jordan ainda exigiu a presença da mãe antes de se entregar. Com a chegada dela, entregou o filho à mulher e se rendeu. Ele é apontado como uma das lideranças do tráfico de drogas no bairro da Mata Escura, e tentava “tomar o comando” do Santo Inácio, segundo os policiais. Ele responde a um processo por tráfico de drogas.

Gleisson responde a três processos por homicídios, possui mandados de prisão em aberto e foi preso em flagrante pela quarta vez. Ele foi encontrado escondido dentro de uma caixa d’água na laje de uma casa. Já Murilo foi capturado com armas de calibre doze e também responde a processos penais por roubo e tráfico de drogas.

Para prender os cerca de dez suspeitos da troca de tiro que estavam no churrasco e fugiram durante a operação, a Rondesp Central fará rondas constantes nos bairros da Mata Escura e Sussuarana

Compartilhar