“Nunca tive arestas com o presidente Lula”, diz Rui

O governador Rui Costa (PT) celebrou a passagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na capital baiana e falou sobre a influência do petista nas eleições de 2020 e 2022

O governador Rui Costa (PT) celebrou a passagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na capital baiana e falou sobre a influência do petista nas eleições de 2020 e 2022. O líder petista chegou ao Aeroporto Internacional Luís Eduardo Magalhães na noite de quarta-feira e seguiu direto para o Palácio de Ondina, onde participou de um jantar com lideranças do partido e os governadores Fátima Bezerra (Rio Grande do Norte) e Wellington Dias (Piauí).

Rui comentou a polêmica interna criada no PT quando declarou para a revista Veja que as alianças do PT não deveriam ser condicionadas ao “Lula Livre”. “Nunca tive arestas com o presidente Lula”, rechaçou. “O PT desde a sua criação sempre se caracterizou por debates acalorados. Mas a grande virtude do PT que muitos admiraram durante anos, independentemente de serem oposição ao PT, dizem que ‘eles brigam, brigam, brigam e na hora H se unem e vão para a luta’. Então, é assim a história do PT”, declarou, na chegada para a reunião do PT no Wish Hotel da Bahia. Para o gestor, “é uma alegria enorme ter o presidente que contribuiu muito para melhorar a vida do povo brasileiro” na Bahia. “É sempre bom tê-lo de volta e é um prazer enorme recebê-lo em Casa para bater um papo e conversar”.

Rui foi questionado sobre os rumores de que será candidato em 2022. Ele se esquivou ao ser perguntado se a soltura de Lula enfraquece os planos dele para entrar na corrida ao Palácio do Planalto. “Tenho dito para vocês, não é de hoje, que eu acho prematuro ficar falando de eleição em 2022, independente de nomes ou candidaturas. Acho que ano que vem é ano de eleição e que temos que tratar, a partir de janeiro, das eleições municipais. Tem muita água para passar debaixo da ponte. E essa reconstrução, na minha opinião, passa pelos municípios. É preciso que possamos ter políticos que defendam a pacificação do Brasil, a união do povo brasileiro, que o Brasil volte a crescer, gerar emprego e renda”.

E aproveitou para atacar o governo Bolsonaro: “O povo está sofrendo muito. É muito triste ver esse dado que o IBGE divulgou na semana passada: mais de 4,5 milhões de brasileiros voltaram para a linha de extrema pobreza. E a grande maioria deles no Nordeste brasileiro. Isso é muito triste. Queremos retomar o tempo de crescimento, da melhoria de vida das pessoas. E isso se fará, na minha opinião, independente de ter opiniões divergentes sobre as coisas, com pessoas que busquem a unidade do Brasil, o combate ao racismo, ao preconceito e à violência”.

Compartilhar