Uma carga com 35 toneladas de produtos com indício de falsificação foi apreendida pela Alfandêga da Receita Federal, em contêineres, no Porto de Salvador, na manhã desta quinta-feira (5). Na carga, havia chapinhas de cabelo, capas e baterias de celular.

Segundo o órgão, foi a maior apreensão de produtos com indício de falsificação e com falsa declaração de conteúdo no porto da capital baiana, nos últimos 10 anos. Todo o material foi trazido para a cidade por uma mesma empresa, que fica na China, e seria levado para uma firma em São Paulo, que não tem filial na capital.

De acordo com a Receita Federal, os produtos foram apreendidos durante uma verificação física da equipe de vigilância aduaneira da Alfândega. Após a análise das imagens nos equipamentos de raio-x, foi verificado que o conteúdo não correspondia ao que tinha sido declarado pelo importador.

Segundo a documentação, haveria apenas capas de celulares nos contêineres, mas foram encontrados outros acessórios, escovas modeladoras e equipamentos para tratamento estético, sem autorização da Anvisa.

“Os equipamentos elétricos são realmente um perigo para quem os utiliza, temos ouvido falar várias situações de incêndio espontâneos de bateria e carregadores e deve-se evitar esse tipo de produto no mercado informal”, disse Luciano Maciel, auditor da Receita Federal.

O auditor informou, ainda, que a carga está sujeita a pena de perdimento por ter sido trazida com falsa declaração de conteúdo e itens que não foram aprovados pela Anatel. Além disso, trata-se também de produtos cuja exportação não foi autorizada pela marca que eles exibem.

Conforme a Receita Federal, uma amostra dos produtos apreendidos será encaminhada para os proprietários das marcas atestarem a falsificação.

Foram apreendidos 35 toneladas de produtos falsificados pela Receita Federal — Foto: Divulgação/Receita Federal

Foram apreendidos 35 toneladas de produtos falsificados pela Receita Federal — Foto: Divulgação/Receita Federal

Compartilhar