cunha chorando
Eduardo Cunha (PMDB-RJ) anuncia renúncia à presidência da Câmara

Com a decisão de Cunha de deixar Presidência da Câmara dos Deputados, a casa já pode convocar novas eleições no prazo de até cinco sessões plenárias. As sessões terão que ser deliberativas ou de debates com o mínimo de 51 deputados presentes.

O eleito vai assumir uma espécie de “mandato-tampão”: ele assume o cargo até fevereiro do próximo ano, quando um novo presidente será eleito.

O deputado assumiu o cargo desde que Cunha foi afastado da presidência da Câmara pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e, desde então, é bastante criticado pelos parlamentares.

Nas últimas semanas, todas as vezes em que Waldir Maranhão tentou presidir uma sessão, os parlamentares se recusaram a discutir e votar matérias importantes até que ele deixasse a Mesa do Plenário.

Compartilhar