O ministro da Secretaria de Governo, Geddel Viera Lima (PMDB-BA) descredibilizou a delação premiada do ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, de acordo com a Veja. Segundo o peemedebista, “Machado só apresentou uma prova em sua delação: a de que ele e os filhos roubaram”.

Esta semana, trechos vazados da delação de Machado apontaram que o presidente interino Michel Temer (PMDB) negociou propina para a campanha de Gabriel Chalita para a campanha da prefeitura de São Paulo. Em sua delação, Machado disse que Temer lhe pediu doações para a campanha de Chalita e que repassou R$ 1,5 milhão à campanha por meio de doações cuja origem eram dinheiro de propina. Ainda de acordo com Machado, o contexto da conversa “deixava claro que o que Michel Temer estava ajustando com o depoente (Machado) era que este solicitasse recursos ilícitos das empresas que tinham contratos com a Transpetro”.

Ainda de acordo com Machado, em 1998 o senador Aécio Neves (PSDB-MG) recebeu R$ 1 milhão em recursos ilícitos e em dinheiro para a campanha eleitoral que o elegeu deputado federal naquele ano.

Compartilhar