Segundo moradores que preferem não se identificar, os ônibus ainda não entram no final de linha do bairro nesta manhã. Na tarde de ontem segunda-feira (17), os donos de estabelecimentos fecharam as portas após ordens de traficantes. 

001

O clima de tensão se instaurou no local após uma briga entre facções rivais que deixou três mortos e um ferido na noite do sábado (15). Segundo a Central de Polícia (Centel), o crime foi motivado por disputas entre grupos rivais.
Morreram Tauan dos Santos Souza, 19 anos, Cláudio César Conceição de Jesus Filho, 21, e um homem de identidade ainda ignorada. Já Paulo Roberto Conceição da Fonseca, 21, ficou ferido e foi internado no Hospital do Subúrbio. Para polícia, moradores contaram que os mortos eram conhecidos como Muque, Nem e Descolado. Eles fariam parte da facção Comando da Paz e teriam sido mortos por membros da facção Caveira. Os dois grupos são rivais e disputam pelo tráfico de drogas do bairro e região. O caso está sendo investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).
Apesar das ruas desertas, a Polícia Militar nega que haja toque de recolher no bairro e afirma que o fluxo de ônibus está normal. Além disso, a PM acrescenta que o policiamento foi reforçado no local, após o crime do sábado. A assessoria da PM acrescentou também que moradores e comerciantes estão assustados e “um boato sobre o toque de recolher” teria causado o fechamento dos pontos comerciais. O policiamento está sendo feito pela Rondesp BTS e pelo efetivo da 9ª CIPM/Pirajá.
Compartilhar