Presa na Lava Jato, secretária de Argolo trabalhou para Negromonte Jr

O mundo da política na Bahia é muito pequeno. Todo mundo conhece todo mundo. Atual secretária do ex-deputado federal Luiz Argolo (SD-BA), Élia Santos da Hora foi presa na manha desta sexta-feira (10)  com o chefe, em Salvador, como parte da 11ª fase da Operação Lava Jato.

Apesar de ter sido divulgado pela Polícia Federal que Élia é secretária de Luiz Argolo, atualmente sem mandato, ela foi nomeada em 2013 como assessora parlamentar do então deputado estadual pelo PP, Mário Negromonte Junior. A nomeação de Élia foi publicada no Diário Oficial no dia 9 de abril de 2013, com o símbolo SP-22, cujo salário é de R$ 8 mil.

Negromonte Junior é filho do atual conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), Mário Negromonte, denunciado pelo Ministério Público Federal ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) como beneficiados do esquema de propina envolvendo a Petrobras. O Bocão News tentou falar com Negromonte Jr., mas ele não atendeu as ligações e nem as retornou.

Segundo investigações da Policia Federal, Mário Negromonte e Luiz Argolo receberam dinheiro quando faziam parte do Partido Progressista. Ambos não estão mais na legenda.

Argolo foi para o Solidariedade e Negromonte teve que se desfiliar para ser nomeado conselheiro do TCM.

Investigações da Polícia Federal dão conta de que Argolo recebeu do doleiro Alberto Youssef  R$ 1,2 milhão. Na decisão do juiz Sergio Moro que determinou a prisão de Argolo, ele cita a sociedade entre o ex-deputado e o doleiro na empresa Malga Engenhara como determinante para a prisão do ex-deputado.

Compartilhar