Suíca defende posição de Ademário: “Tem de abrir logo essa urna”

O vereador e vice-líder da oposição na Câmara de Salvador, Luiz Carlos Suíca (PT), defendeu a posição do candidato à presidência do PT municipal, Ademário Costa, que pede a abertura de uma urna extra do Processo de Eleição Direta (PED) do PT, realizado no último domingo (8) em toda a Bahia. Costa teve 49,1% dos votos, e emitiu nota não reconhecendo o resultado da eleição. O candidato recorreu ao Diretório Estadual e aguarda parecer. “Não podemos concordar com isso. Na minha visão, Ademário ganhou no primeiro turno e estão dificultando as coisas porque é assim o processo, é difícil mesmo largar o cargo”, salienta Suíca.

Costa foi o candidato mais votado e mantém vantagem no processo do partido em Salvador. Entretanto, pede que o resultado da presidência municipal tenha os dados da urna extra, que foi instalada pela direção nacional do PT para que os militantes sem vinculação a diretórios zonais votassem. Sem a abertura dessa urna, Ademario Costa tem 49,1% dos votos, e falta apenas 25 votos para vencer a eleição da presidência municipal do PT no primeiro turno em Salvador. “Não estou preocupado se essa urna vai garantir a vitória no primeiro turno ou não. Apenas não aceitaria que a vontade da militância não seja respeitada”, diz Ademário.

 

O candidato é ligado aos deputados Jorge Solla (PT, federal) e Marcelino Galo (PT, estadual), e também tem composto uma aliança ampla com diversas outras tendências e militantes do PT, como o vereador Luiz Carlos Suíca. Com o resultado de domingo, Ademário já tem maioria da próxima direção partidária. Ele terá no PT de Salvador oito dos 15 membros da Executiva Municipal e 23 dos 44 membros do Diretório Municipal. “O processo de mudança do PT em Salvador foi aceito pelos militantes. E esse processo vai ser finalizado com a vitória de Ademário para o posto. Isso não temos dúvida”, completa Suíca.

 

Compartilhar