Félix Mendonça Jr. minimiza defesa por candidaturas negras

O deputado federal, presidente do PDT na Bahia, minimizou ontem a defesa que alguns setores da esquerda

O deputado federal Félix Mendonça Jr., presidente do PDT na Bahia, minimizou ontem a defesa que alguns setores da esquerda, como o PT e membros do próprio PDT, têm feito em relação à necessidade de mais candidaturas negras nas eleições de 2020. Segundo o pedetista, o candidato, antes de tudo, tem que mostrar que é um bom gestor. “Pode ser de qualquer raça, qualquer religião, homem, mulher, tem que mostrar capacidade de ser um bom gestor”, disse.

O tem é pauta nos círculos do PT e de movimentos sociais. Outro que tem feito essa defesa é Vovô do Ilê, que se lançou como pré-candidato à prefeitura de Salvador pelo PDT, além do próprio Félix Mendonça Jr.. Nesta semana, o secretário de Saúde de Salvador, Leo Prates (DEM), também endossou o discurso.

Questionado sobre o pleito nos outros municípios do Estado, o parlamentar afirmou que o partido pretende ter candidatos no maior número possível de cidades.”Estamos conversando muito. Vamos ter candidatos em vários municípios, se pudermos ter em todos, teremos”, disse. Um dos principais exemplos é Itabuna, onde pesquisa recente apontou vantagem de Dr. Mangabeira (PDT). “Mangabeira será candidato forte, tem tudo para ganhar”, disse.

PT

Veterano na Câmara Municipal de Salvador, Moisés Rocha (PT) afirma que não será candidato à reeleição do parlamento em 2020. O edil se diz desacreditado com o poder de influência exercido atualmente pela esquerda na capital baiana e afirma que vai voltar a trabalhar nas bases.

“Tenho alguns fatores que são fundamentais para tomar essa decisão. Primeiro que, particularmente, não tenho [apego ao mandato], apesar de entender a importância da Casa legislativa”, avalia, em entrevista à Tribuna no mês passado. “Quero lembrar que estamos em uma cidade 82% de negros e pardos, mas que não conseguimos ter espaço para exercer o poder. Quero voltar para o movimento negro, refazer as minhas lutas, retomar o processo de tentar obter novamente maioria sem revanchismo”, completa, dizendo que não está preocupado com o contracheque no final do mês.

Rocha, no entanto, se coloca à disposição para ser o candidato do PT em Salvador. “Disponibilizei o meu nome para o Partido dos Trabalhadores recentemente para debater a questão da Prefeitura de Salvador”, afirma. “Respeito todos os nomes que foram postos, mas acredito que precisamos fazer um movimento que rompa de fato as estruturas de poder. Precisamos mostrar que, de fato, precisamos fazer diferente”.

Compartilhar