ACM Neto não acredita em perseguição contra NE

O prefeito de Salvador comentou uma reportagem do jornal Estado de S.Paulo sobre a Caixa Econômica Federal ter reduzido a concessão de novos empréstimos

 

 

 

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), comentou uma reportagem do jornal Estado de S.Paulo sobre a Caixa Econômica Federal ter reduzido a concessão de novos empréstimos para o Nordeste neste ano. Segundo a publicação, para a região, foram fechadas menos de dez operações, que juntas totalizam R$ 89 milhões, ou cerca de 2,2% do total – volume muito menor do que em anos anteriores. Para o prefeito, não há uma “perseguição” aos nordestinos. Neto afirmou, ainda, que vai encaminhar à Câmara de Salvador um projeto de lei para que seja autorizado um empréstimo de cerca de R$ 130 milhões junto ao banco. “A Caixa Econômica hoje é, inclusive, um dos principais órgãos de financiamento do município. Nós temos ai o financiamento do BRT. Financiamento de uma parte do hospital, novos equipamentos de saúde. Agora, estou encaminhando para a Câmara Municipal, para aproveitar a retomada dos trabalhos legislativos, uma outra proposta de financiamento para viabilizar novas obras de infraestrutura urbana. (…) Então, tenho visto muita boa vontade por parte da Caixa Econômica. Não dá para fazer uma análise de apenas cinco ou seis meses (…) Acho muito cedo e preliminar dizer que a Caixa Econômica está perseguindo o Nordeste. Eu não vejo desta forma”, pontuou.

ACM Neto também deixou claro, ontem, que não vai apoiar mais de um nome para eleição de 2020. Perguntado pela imprensa sobre a hipótese de ter mais de um candidato no próximo ano, o democrata soteropolitano afirmou que “descarta inteiramente”. Hoje, o vice-prefeito da capital baiana, Bruno Reis (DEM), é considerado o postulante natural ao Palácio Thomé de Souza.

“Descarto inteiramente. Não tem nenhuma hipótese de eu ter mais de um candidato na eleição. Isso eu já deixei claro desde o começo. É claro que eu não posso impor o meu nome. Vejo que hoje alguns partidos ligados a mim apresentam pré-candidatos. É natural. É legítimo. Não tem nenhum problema nisto. Mas vai chegar uma hora que vou chamar os partidos para conversar e vou procurar construir com eles um caminho único. O time das coisas a gente vai ajustar no processo. O meu time de definição do meu candidato é a virada deste ano. Entre o fim de dezembro e início de janeiro, eu estarei apresentando o meu candidato. Eu não vou fazer isso sem conversar com os partidos. Mas eu não posso obrigar nada a ninguém. Sou presidente de um partido que é o Democratas. Dentro do meu partido, eu posso conduzir o debate. Junto aos outros eu posso argumentar, tentar sensibilizar. Agora, eu não vou aceitar jogo duplo. Quem tiver comigo, vai comigo”, declarou o prefeito.

Compartilhar