Com a pior defesa da Série B, Leão tem problema para jogo com a Ponte

Leão foi vazado 23 vezes em 11 partidas do Brasileirão

Mais uma vez a defesa estará no centro das atenções no jogo do Vitória desse sábado (27), no Barradão, contra a Ponte Preta. Por dois motivos: primeiro, pelo baixo rendimento do setor e, segundo, pelos desfalques que terá.

O duelo pela 12ª rodada da Série B começa às 16h30. O Vitória está em 18º na tabela, com sete pontos, quatro atrás do 16º, que é o Vila Nova. Portanto, mesmo que ganhe da Macaca, não terá como deixar a zona de rebaixamento.

O duelo ganha importância porque os dois compromissos na sequência serão longe de Salvador. Na terça-feira, o Vitória visita o Figueirense. Na sexta-feira, viaja a Pelotas para enfrentar o Brasil. O rubro-negro tem, e por uma boa diferença, a pior defesa da Série B. Foram 23 gols sofridos em 11 partidas, uma média maior que dois tentos por rodada. A segunda pior zaga da competição é a do São Bento, tendo sofrido 17 gols.

Em toda a temporada 2019, o Leão sofreu 48 gols em 30 jogos, uma média de 1,6 tento por duelo. Para fins de comparação, o Vitória, no ano passado, sofreu 95 gols em 67 partidas – uma média de 1,4, menor que a atual.

De fato, o rendimento ruim da defesa piorou com a chegada da Série B. A equipe tem oito derrotas em 11 jogos na competição. Em seis destas derrotas, o time saiu de campo com três gols sofridos.

Fora de casa, o Vitória tomou três gols de Botafogo-SP (3×1), Guarani (3×2), Sport (3×1), Oeste-SP (3×0) e Londrina (3×1). No Barradão, levou do São Bento (3×1).

E as opções?
Osmar Loss tem o desfalque certo da sua dupla de zaga titular. Everton Sena, que saiu de campo na derrota para o Londrina, sofreu uma lesão no músculo adutor da coxa esquerda. Ele passou nesta quinta-feira (25) por um exame de imagem para saber a gravidade. O laudo e a previsão de retorno do jogador devem sair nesta sexta-feira (26).

Já Zé Ivaldo, que se machucou durante a derrota por 1×0 para o Cuiabá, está em tratamento de um edema ósseo no joelho esquerdo e só deve voltar a jogar na primeira quinzena de agosto. Ontem, ele iniciou a transição física com uma corrida em campo.

Loss terminou o duelo no Estádio do Café com Ramon e Bruno Bispo na zaga. Para o encontro com a Ponte Preta, Ramon deve ser mantido. A dúvida fica em relação ao seu companheiro.

Contra o Londrina, Bruno voltou a disputar uma partida após mais de quatro meses afastado. Ele havia sido relacionado pela última vez na derrota por 2×0 para o Fluminense de Feira, em 17 de março, que eliminou o Leão de forma precoce no Baianão.

Ao retornar de Londrina, na quinta-feira (25), Loss pediu a incorporação dos zagueiros Dedé e Carlos, que formavam a dupla titular da equipe sub-23.

Dedé é um caso curioso. O zagueiro, 24 anos, foi um dos primeiros reforços da era Paulo Carneiro, no início de maio, mas ainda não estreou. Para manter o ritmo, disputou três jogos nos Aspirantes e marcou um gol.

Já Carlos,  19 anos, é formado na base rubro-negra e chegou a deixar o clube em abril por desacerto entre seu empresário e o ex-presidente Ricardo David. A situação foi resolvida na gestão de Paulo Carneiro. O garoto foi reincorporado e fez duas partidas pelo Brasileiro sub-20, assim como um jogo pelo Aspirantes.

Compartilhar