MP anuncia repatriação de R$ 139 mi de ex-gerente da Petrobras

O Ministério Público Federal informou nesta quarta-feira (11) que obteve a repatriação da Suíça de R$ 139 milhões do ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco. Segundo o MPF, o valor foi depositado na conta da 13ª Vara da Justiça Federal, em Curitiba, onde tramitam processos referentes à Operação Lava Jato.

mi_23341285014017355

A operação de repatriação do dinheiro, desviado da estatal pelo esquema de corrupção investigado na Lava Jato, foi conduzida pela Secretaria de Cooperação Internacional do MP e é resultado do acordo de delação premiada firmado entre Barusco e o Ministério Público.

No total, Barusco admite ter depositados em bancos suíços US$ 97 milhões – cerca de R$ 298 milhões, ao câmbio deste quarta (leia mais abaixo).

Pelo acordo de delação premiada, Barusco aceitou colaborar com as investigações e devolver os recursos em troca da possibilidade de redução da pena.

Em novembro, uma delegação do Ministério Público Federal foi à Suíça para tentar a repatriação de US$ 26 milhões depositados em bancos suíços pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, que, segundo a delação premiada, desviava recursos em favor do PP.

A repatriação de valores da Lava Jato já é considerado o maior montante recuperado no exterior. Segundo o Departamento de Recuperação de Ativos do Ministério da Justiça (DRCI), até novembro o Brasil já havia trazido cerca de R$ 45 milhões em recursos desviados para fora do país.

Na viagem à Suíça, os procuradores da República buscaram identificar outras contas onde eram depositados dinheiro “sujo”, bloquear essas contas e rastrear o dinheiro que passou por elas. Movimentações assim são típicas de lavagem de dinheiro, crime que consiste em dar aparência de legalidade a recursos obtidos irregularmente.

No início da tarde, a 13ª Vara Federal Criminal de Curitiba divulgou nota (veja a íntegra ao final desta reportagem) informando que o valor exato do depósito do dinheiro repatriado é de R$ 139.666.471,17. Segundo a nota, no acordo de delação premiada, Barusco se comprometeu a depositar em juízo R$ 3,25 milhões referentes a multa compensatória penal e a devolver US$ 67,5 milhões acrescidos de rendimentos financeiros.

Compartilhar