“Nova regra digital do Enem não será inclusiva”, critica o vereador Sílvio Humberto (PSB)

Em relação à medida, o vereador Sílvio Humberto (PSB) comentou sobre a medida que agrava ainda mais os problemas educacionais do país.

Nessa terça-feira (3), o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) terá aplicação digital a partir de 2020, com previsão de consolidação a partir de 2026. Em relação à medida, o vereador Sílvio Humberto (PSB) comentou sobre a medida que agrava ainda mais os problemas educacionais do país. “Não existe a possibilidade de aplicar uma prova digital num país marcado pela desigualdade social, com uma educação pública cada vez mais precarizada, onde nem todos possuem acesso à internet”, explica.

O principal argumento usado pelo governo foi a diminuição dos custos de impressão da prova, que ultrapassam os R$ 500 milhões, e contribuir para a preservação do meio ambiente. No entanto, o edil aponta ainda que a decisão foi tomada de maneira simplificada diante da complexa realidade social brasileira. “É preciso pensar nos vários recortes sociais e raciais quando se pensa em mudar algo, sobretudo na educação pública brasileira”, concluiu.

Compartilhar