Relação entre Rui Costa e Jaques Wagner estaria estremecida

Por Cíntia Kelly

Mudanças drásticas na gestão da saúde e descumprimento de acordos feitos com partidos são alguns dos ingredientes que demonstram que a relação entre o governador Rui Costa e o ex Jaques Wagner não está mais as mil maravilhas.

A interlocutores, Wagner tem reclamado da postura do seu apadrinhado político. Uma das queixas diz respeito à participação de partidos como PTB e PR no governo atual. Wagner avalizou a participação das duas siglas, mas, até o momento, Rui não honrou o compromisso.

ruicosta

Ao PTB ficou apenas com a gestão da Conder,  sem participação no primeiro escalão. A situação do PR é ainda mais delicada. O partido corre risco de arrebatar apenas cargos no terceiro escalão.

Apesar da chateação de Wagner, ele confidenciou a amigos que não pretende interferir na condução de Rui Costa.

Um dos casos mais emblemáticos que demonstra que Rui Costa não pretende ser uma sombra de Wagner no governo da Bahia foi o espaço dispensado a Carlos Martins – homem ligado a Wagner.

Ao invés de assumir pasta no núcleo duro da administração, a ele foi dada a secretaria de Desenvolvimento Urbano, deixando-o a margem das articulações e decisões de governo.

Ao Bocão News, Rui Costa negou que haja distanciamento entre ele e Wagner. Para tentar provar o que diz, indagou. “Para ser próximo tem que falar quantas vezes por dia? Falos todos os dias. Isso é estar próximo ou distante?”.

Sobre o conteúdo da conversa com o atual ministro da Defesa, Rui diz que ‘ouço opiniões’, não conselhos. “É meu amigo há 32 anos e vai continuar sendo. Essa pauta eu não aconselho seguir porque a possibilidade de sucesso é menos dez”, encerrou.

Compartilhar