Acusado de matar estudante com soco no Carnaval é julgado nesta terça (11)

'Eu estava com raiva porque apanhei', disse suspeito ao ser preso

Será realizado nesta terça-feira (11), a partir das 8h30, no Fórum Ruy Barbosa,  o julgamento do acusado de ter matado o estudante de engenharia mecânica da Universidade Federal da Bahia, Kaíque Abreu, 22 anos durante o Carnaval de 2018.  Ele sofreu um traumatismo craniano após receber um soco quando voltava pra casa que estava hospedado, na Rua Manoel Barreto, na Graça, e acabou morrendo.

“Eu estava com raiva porque apanhei. Aí eu vim gingando e meti nele. A minha intenção não era de matar”, disse o pintor Edson Rodrigues dos Santos, 27 anos, em fevereiro de 2019, quando foi preso na madrugada do dia 14 de fevereuri após  agredir o estudante  cinco dias antes.

Durante a apresentação, Edson chegou a tratar o caso como uma fatalidade e disse que apenas falaria na presença de um juiz. Mas, ao sair da coletiva, ele disse estar arrependido do crime. “Eu não queria matar. Eu apanhei e fiquei com raiva. Meu celular ficou todo quebrado”, disse o acusado.

Edson confessou crime e disse que queria descontar raiva em alguém (Foto: Almiro Lopes/Arquivo)

Investigações Segundo a delegada Carmen Dolores, titular da 14ª Delegacia (Barra), a polícia só conseguiu chegar ao acusado porque imagens de câmeras de segurança da rua captaram a placa e o modelo do caminhão. O motorista que deu fuga a Edson estava na noite desta terça-feira (13) nas imediações da Avenida Centenário.

Com ele estava o adolescente de 15 anos que prestava serviços ao motorista. Ainda segundo a delegada, o motorista conhece um amigo de Edson. O veículo, no dia do crime, estava estacionado a cerca de 10 metros de onde o crime aconteceu. De acordo com o delegado José Bezerra Júnior, diretor do DHPP, nas imagens das câmeras de segurança é possivel ver que o veículo estaciona na rua por volta das 22h da quinta-feira (8) de fevereiro. E, já por volta das 2h50, é possivel ver duas pessoas caminhando rápido em direção ao caminhão, um deles seria o Edson e o outro seria o adolescente de 15 anos.

Dia do crime
De acordo com a família, era o terceiro Carnaval do estudante que se formaria no próximo ano. Às 23h30, Kaíque saiu da casa de um amigo, na Rua Manoel Barreto, na companhia de um primo e mais três amigos para o circuito Dodô. Minutos depois ele se perdeu do grupo no meio da multidão. Sozinho, Kaíque decidiu voltar para casa, às 3h, quando a pouco menos de 500 metros foi supreendido com um soco no rosto. Ao cair, a vítima ainda levou um chute do agressor.

Desacordado, o estudante ainda chegou a ser socorrido por uma família que passava pelo local. Um dos membros era uma médica, que aguardou no local até a chegada Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) às 3h30.

Compartilhar