Rui tem dito a correligionários não acreditar que o governo Bolsonaro dará certo

Deputados acreditam que a decisão do governador Rui Costa (PT) de procurar um comprador para a folha de pessoal do governo do Estado, que movimenta mais de R$ 13 bilhões, tem por objetivo não apenas levantar mais recursos para as combalidas contas do tesouro estadual, igualmente afetadas pela crise que já dura cinco anos no país, mas também tirá-las de um banco estatal subordinado ao presidente Jair Bolsonaro como o Banco do Brasil, que hoje a administra.

Além da distância política e ideológica que guarda do presidente da República, Rui tem dito a correligionários não conseguir acreditar que o governo sob o seu comando dará certo, tendo assimilado completamente os argumentos de quem o conhece de que Bolsonaro é “incapaz”.

Compartilhar