PF cumpre dez mandados de prisão por fraude a licitação na prefeitura de Itambé

A operação prevê ainda o cumprimento de cumprem 11 mandados de busca e apreensão e 12 mandados de intimação

Cerca de vinte e cinco policiais federais e quatro auditores da Controladoria Geral da União cumprem onze mandados de busca e apreensão, dez mandados de prisão e doze mandados de intimação, nesta quinta-feira (30), nos municípios baianos de Itambé e Vitória da Conquista, no sudoeste do estado. A ação é fruto da  Operação Pedra Afiada, deflagrada para combater crimes de desvio de recursos públicos do Ministério da Integração Nacional na cidade de Itambé/BA.

Os envolvidos responderão pelos crimes de organização criminosa, desvio de recursos públicos e fraude à licitação. A operação decorre de uma investigação iniciada em 2017 sobre as atividades de uma empresa da região que, em conluio com o Poder Público municipal, venceu obras de calçamento da cidade, desviando esses recursos públicos obtidos, sem concluir as obras contratadas ou executando-as parcialmente.

Ao longo das investigações, foi apurado que essa empresa servia apenas de “fachada” e que, na verdade, não havia concorrência nenhuma na licitação. Entre os anos de 2014 e 2015, a organização criminosa obteve contratos públicos, dos quais R$1.270.411,42 teriam sido desviados ou utilizados de forma indevida.

De acordo com a PF, o nome da operação, Pedra Afiada é uma dupla referência ao material utilizado para as obras – paralelepípedo – e representa também o significado de Itambé na língua Tupi.

Compartilhar