PM morto em assalto a ônibus estava aposentado desde 2002

Soldado reformado trabalhou por 30 anos na PM; ele foi o 5º morto do ano

O soldado reformado Milton de Sousa Silva, 55 anos, que foi morto na noite de segunda-feira (27) em assalto a ônibus, estava reformado [quando o militar se aposenta] desde 2002.

O policial reformado foi alvejado por criminosos no interior do ônibus coletivo que fazia linha Paripe x Aeroporto, quando trafegava pela Avenida Aliomar Baleeiro, em Cajazeiras. O militar chegou a ser socorrido por uma guarnição da 3ª CIPM para o Hospital Municipal de Salvador, mas não resistiu aos ferimentos.

Segundo o diretor de comunicação do Sindicato dos Rodoviários, Daniel Mota, os bandidos estavam no ônibus que fazia a linha Paripe/ Aeroporto quando anunciaram o assalto. Em seguida, o PM entrou no coletivo e se identificou.

“São informações preliminares, mas é o que sabemos até então. Depois que balearam o rapaz, eles fugiram em um carro que estava dando apoio. Os rodoviários estão abalados e o Sindicato está preocupado com a falta de segurança pública, e com os constantes assaltos a ônibus”, afirmou.

Em nota de pesar divulgada na manhã desta quarta-feira (28) a PM informou que soldado Milton ingressou nas fileiras da corporação há 30 anos e estava reformado desde o ano de 2002.

“Ainda não há informações sobre o horário e o local do sepultamento. Uma equipe do Departamento de Promoção Social (DPS) está acompanhando os familiares e prestando toda a assistência necessária”, afirmou a PM.

Este ano, cinco policiais militares foram mortos sendo um em serviço, dois fora de serviço e dois reformados, incluindo o soldado Milton.

Dois de Julho
Esse é o segundo caso de um policial militar assassinado em três dias. Na sexta-feira (24), o soldado Everaldo Costa Junior, 32 anos, morreu depois de ser baleado no rosto dentro do Hotel Chavier, na Ladeira do Gabriel, por volta das 20h. Ele era lotado na 16° Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Comércio) e foi socorrido para o Hospital Geral do Estado (HGE), mas também chegou à uniadde de saúde sem vida.

A Secretaraia de Segurança Pública (SSP) informou, nesta segunda, que a autoria e a motivação do crime estão sendo investigadas.

Crimes contra policiais
Em março, um policial militar aposentado foi morto a tiros dentro da própria casa, no bairro de São João do Cabrito, Subúrbio Ferroviário de Salvador. Segundo a  Polícia Militar, o principal suspeito de cometer o crime contra Yves Rogério Ferreira Lopes, 52, é o filho da vítima, um adolescente de 15 anos, que foi apreendido.

A arma usada no crime, um revólver calibre 38, pertencia a Yves Lopes, que foi morto no sofá da sala. A reportagem também apurou que a mãe do garoto e mulher da vítima informou aos policiais que a vítima já havia agredido o filho algumas vezes.

Em abril, o policial civil Pedro Rodrigues do Carmo Filho, 63 anos, foi morto a tiros ao interromper um assalto a ônibus às margens da rodovia BR-324, no bairro de Águas Claras, em Salvador. Segundo a família, o policial que era lotado na 29ª Delegacia (Plataforma) e estava trabalhando.

Compartilhar