Parou tudo! Ato a favor do Brasil leva milhares à Barra

Entre as medidas do governo, Reforma da Previdência é principal pauta de apoiadores

Os argumentos vão desde o “gasto de dinheiro com besteira passou dos limites”, “a esquerda quer transformar crianças em militantes”, até “sem reformar a Previdência, o país vai quebrar”. Em peso, os apoiadores do governo federal compareceram, neste domingo (26), ao ato em defesa do presidente Jair Bolsonaro (PSL), a quem atribuem a missão de “salvar o país”.

Desde a concentração, no Farol da Barra, até meados do Cristo, por onde passaram em caminhada, acompanhando um trio elétrico, os apoiadores, todos de verde e amarelo, ostentavam cartazes variados e a bandeira da pátria. Além da capital baiana, ourtras mais de 350 cidades pelo Brasil também realizam atos apoio ao governo.

Além da defesa de pautas como a Reforma da Previdência, a diminuição dos ministérios, a aprovação da Medida Provisória 870, que prevê uma reforma administrativa; o Pacote Anticrime; e até a atuação do ministro Sérgio Moro; outra unanimidade presente nas frases escritas nos cartazes é de que o “Brasil está acima de tudo, e Deus acima de todos” – uma referência ao slogan da campanha presidencial.

Corretora de imóveis Josenildes Soares posa para foto com gesto de arma (Foto: Tailane Muniz)

Na leitura da corretora de imóveis Josenildes Soares, 47 anos, o ato representa o empenho dos soteropolitanos em “melhorar o futuro das famílias brasileiras”.

“Estamos lutando para um futuro melhor para os nossos filhos, é o momento da gente se salvar”, diz, no primeiro momento.

Mãe de três filhos, de 12, 21 e 23 anos, Josenildes classificou o contingenciamento do Ministério da Educação  (MEC) às universidades e institutos federais como uma “medida de prevenção”.

“Muito dinheiro no Brasil é gasto com besteira. Ele não está se negando a financiar a educação, apenas o financiamento de pesquisas inúteis”, considera ela que, ao posar para foto, explicita, também, uma outra defesa: a posse de armas. “A favor”, se limita a dizer.

‘Fim da esquerda’
Entre uma e outra execução do hino nacional brasileiro, os pró-Bolsonaro, do alto do trio, afirmaram, também, que o presidente é o único que pode “acabar com a esquerda que se instalou há décadas”.

No microfone, um dos organizadores do evento disse que “Bolsonaro é um tiro politicamente correto”. E completou: “Em seus mais de 20 anos como parlamentar, se dedicou ao combate da esquerda”.

Ainda de acordo com os líderes do ato, o movimento realizado por militantes em todo o país em 15 de maio, que ficou conhecido como 15M, contra os cortes das verbas por parte do MEC, foi uma “tentativa da esquerda de transformar crianças em militantes do Partido dos Trabalhadores (PT)”.

Acompanhada do pai, a estudante de Matematíca do Insittuto Fedral em Camaçari (IF Baiano), Even Gomes, 22, afirmou à reportagem que é a favor do contingenciamento do governo.

“Sou a favor porque é necessário. Estudei dez anos em colégio militar e digo que é mesmo uma balbúrdia o que se vê dentro dos intitutos. Acho que o que adianta mesmo, é esse corte temporário do dinheiro, não acredito que uma campanha interna resolveria a questão”, argumentou ela, que mora em Salvador com uma família.

A secretária executiva Ileana Argolo defende a Refoma da Previdência (Foto: Tailane Muniz/)

Cobrador de ônibus, o pai da jovem disse que, com a filha, acompanha o presidente desde a campanha presidencial. “Estou aqui pelo fututo da minha filha. Faço questão de dizer que ela é aluna do IF Baiano e é contra o contingenciamento, por ser necessário. Apoio ele pela minha pátria, não por influência de ninguém”.

Reformar a Previdência, segundo a secretária executiva Ileana Argolo, 52, é a solução para impedir que “o Brasil quebre”. Segundo ela, que se uniu ao grupo, que se dizem “unidos contra a corrupção”, Bolsonaro não tem decepcionado.

“Até aqui, ele se mostrou fiel às propostas da campanha. Eu sou muito favorável à reforma, senão o país vai quebrar. Nós precisamos dele para garantir nossos direitos e que o dinheiro seja investido no que realmente importa”, destacou.

Compartilhar