Rui Costa diz que governo ‘incentiva a guerra em vez de governar’

O governador da Bahia criticou as manifestações convocadas pelo governo que estão previstas para acontecer no próximo domingo

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), reagiu, ontem, a declaração do líder do PSL na Câmara dos Deputados, Delegado Waldir (GO), que, em sessão da Comissão de Educação, afirmou que a “Bahia é um lixo governado pelo PT”. Em uma postagem no Twitter, o petista baiano afirmou que “lixo não é o povo da Bahia, são as ideias dessas pessoas”, ao se referir aos integrantes do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

“100% das pessoas perguntam sobre o futuro do país, tenho receio do futuro do Brasil. Muita gente despreparada e desqualificada no governo federal. Eu nunca imaginaria ver políticos de tão baixa qualificação, com uma cabeça dessa, me deixa perplexo. Lixo não é o povo da Bahia, são as ideias dessas pessoas, a formação de gente que não tem o mínimo de respeito. Estou revoltado e indignado, não sei para onde essa gente vai levar esse país. É o quinto mês do governo federal e está um desastre completo. Confesso que nunca imaginei que seria tão desastroso. É desesperador, mas vamos trabalhar muito aqui na Bahia e manter a cabeça erguida”, escreveu Rui Costa.

O chefe do Palácio de Ondina criticou, ainda, as manifestações convocadas pelo governo que estão previstas para acontecer no próximo domingo. “Eu me lembro da revolta com Collor, ele pediu a fita verde e amarela. O que aconteceu? As pessoas pintaram o rosto de preto e foram pra rua. Quem está no governo federal não tem que convocar manifestação. Precisa juntar as pessoas a favor do Brasil e harmonizar as ideias. A postura deve ser de acalmar a população e chamar para o diálogo. Mas, em vez de governar, estão incentivando a guerra”, avaliou.

No início desta semana, o porta-voz da Presidência, general Otávio Rêgo Barros, disse que Bolsonaro decidiu não participar das manifestações e orientou seus ministros a também não comparecerem. O presidente inicialmente chegou a considerar comparecer ao ato, que está sendo organizado por apoiadores para se contrapor às manifestações do último dia 15 contra o bloqueio nos recursos para a Educação.

O governador ainda rebateu a declaração de Bolsonaro de que o Brasil é um “país maravilhoso”, mas que tem como “grande problema” seus políticos. “Não acredito nisto não. Primeiro porque os políticos também são expressão do que é a sociedade brasileira. Eu acho que ele estava falando mal dele mesmo, porque ele foi deputado federal durante 28 anos. E, talvez, ele esteja fazendo um autocritica dele mesmo que durante 28 anos contribuiu pouco para o Brasil. E, agora, parece que está contribuindo menos ainda. Então, talvez, esteja falando dele. Mas, eu não acredito que o problema do Brasil sejam os políticos”, disse.

Compartilhar