Bahia tem retorno de Nino, mas perde Gilberto na Copa do Brasil

Tricolor volta a enfrentar o São Paulo nesta quarta-feira (22), às 21h30, no Morumbi

O empate por 0x0, no Morumbi, foi apenas o primeiro da série de três jogos que Bahia e São Paulo vão fazer este mês. Na quarta-feira, as duas equipes voltam a se enfrentar, outra vez no Morumbi, porém válido pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil.

Por isso, a delegação tricolor continua em São Paulo. No segundo duelo, o técnico Roger Machado vai ter o retorno do lateral Nino Paraíba. Suspenso pelo terceiro cartão amarelo, ele ficou fora do duelo de domingo (19) e deu espaço para Ezequiel estrear. Apesar da atuação  tímida, o camisa 22 ganhou elogios de Roger.

“Acredito que Ezequiel tenha feito uma partida segura, ganhou muitos confrontos. Jogador que vem de dois meses sem jogar partida oficial, que suportou uma partida nesse horário, que a gente sabe que é mais complicado. Acho que foi seguro”, disse.

O retorno de Nino vem em boa hora, já que Ezequiel já disputou a Copa do Brasil pelo Fluminense e não pode entrar em campo na quarta-feira.

Outro que segue fora da equipe é o meia Shaylon. Ele está no tricolor emprestado pelo São Paulo e, por força contratual, não entrará em campo. Roger ainda vive a expectativa de contar com Arthur Caíke.

Recuperado de um edema na coxa esquerda, o camisa 77 participou de alguns trabalhos em campo, mas dificilmente terá condições de atuar. A tendência é que ele seja preparado para o duelo contra o Fluminense, no próximo domingo, na Fonte Nova, pelo Brasileirão.

Na Copa do Brasil, o Bahia terá mudança forçada no ataque. Titular ontem, Gilberto recebeu o terceiro cartão amarelo na partida contra o Londrina, na quarta fase, e está suspenso. Com isso, Fernandão, que entrou no segundo tempo no Morumbi, vai começar jogando.

O treinador explica que a entrada do camisa 20 altera as características da equipe. “Gilberto, quando esteve em campo, criou. É diferente do Fernandão, que precisa ser municiado. Ele (Gilberto) criou um pouco mais. Ambos tiveram oportunidades que poderiam ter definido a nosso favor, mas faz parte do jogo. Quando a bola entrar, ela não vai parar mais”, crê Roger.

Capitão da equipe, o zagueiro Lucas Fonseca afirma que o encontro em mata-mata tem características diferentes do jogo na Série A. “A gente sabe a dificuldade que é jogar contra qualquer equipe no futebol brasileiro. O São Paulo é muito qualificado e muito bem armado pelo Cuca. Temos que neutralizar a equipe deles nos minutos iniciais. É outro campeonato na quarta-feira. Vamos estudar o que aconteceu no jogo para não cometermos os mesmos erros”, analisou o defensor. A volta é dia 29, na Fonte Nova.

Compartilhar