Por causa de água alterada, Embasa reduz fornecimento em 78 localidades

Moradores de diversas localidades relataram ardência e coceira após contato com a água

Após os relatos de ardência e coceira por causa da alteração na composição da água de Salvador e Região Metropolitana, a Embasa reduziu o fornecimento do serviço em 78 localidades da capital e oito cidades.

Por causa do racionamento, a empresa recomenda que os moradores das áreas afetadas “façam uso racional da água fornecida até que as condições de abastecimento voltem à normalidade”. A medida foi implantada nessa quarta-feira (15).

Segundo a Embasa, as chuvas que caíram na semana passada alteraram a composição da água. Isso teria causado os casos de ardência os sintomas relatados por moradores em diversas localidades.

Confira as áreas afetadas com a redução temporária da oferta de água:

RMS
Simões Filho, Lauro de Freitas, Santo Amaro, São Francisco do Conde, Candeias e Madre de Deus, Busca vida em Camaçari, Acupe em Saubara.

Salvador
Águas Claras, Arraial do Retiro, Bairro da Paz, Arenoso, Barbalho, Nazaré, Saúde, Ribeira, Boa Viagem, Bonfim, Uruguai, São Caetano, Boca da Mata, Cabula, Cabula VI, Saboeiro, Caixa D´Água, Cajazeiras 2 a 11, Calabetão, Calçada, Caminho de Areia, Campinas de Pirajá, Pirajá, Canabrava, áreas altas de São Tomé de Paripe, Plataforma, Praia Grande, Porto Seco, Castelo Branco, Cidade Nova, Coutos, Curuzu, Dom Avelar, Doron, Engomadeira, Fazenda Grande do Retiro, Fazenda Grande 1 a 4, IAPI, Itacaranha, Itapuã, Nova Brasília, Piatã, Patamares, Stella Maris, Pau da Lima, Pernambués, Itinga, Jardim Cajazeiras, Jardim das Margaridas, Jardim Santo Inácio, Jardim Nova Esperança, Lapinha, Liberdade, Lobato, Macaúbas, Mata Escura, Mussurunga, Pero Vaz, Rio Sena, Sete de Abril, Sussuarana Nova e Velha, Tancredo Neves, Trobogy, Vale dos Lagos, Valéria, Vila Canária, ilhas de Bom Jesus dos Passos, dos Frades e de Maré.

Sintomas

Foi no último domingo (12) que o consultor de vendas Uanderson Silva, 21 anos, morador do Bairro da Paz, notou uma diferença na água durante o banho. Com a água do chuveiro, os olhos deles começaram a arder e o corpo todo começou a coçar.

“Eu tenho um filho de dois anos que começou a chorar reclamando dos olhos e a minha esposa também sentiu a alteração. Até hoje pela manhã, última vez que tomei banho, você sente a coceira depois do banho”, contou.

O ardor e a coceira também foram sentidos pelo analista contábil Bruno Cerqueira, 32, já no bairro de Itapuã. Ele também teve uma sensação de sufocamento durante o banho.

“Eu senti falta de ar. Achei que poderia ser um produto químico utilizado no banheiro, mas acabei vendo que era a água do chuveiro. De domingo para cá, a sensação não passou”, relatou.

Não sabendo o motivo da alteração e tentando diminuir o efeito, Jéssica Jesus, 27, passou a ferver a água para dar banho em suas filhas pequenas, de 3 e 7 anos. Ela conta que a água está esbranquiçada e com cheiro forte de cloro.

“Fui tomar banho na segunda-feira e senti meus olhos ardendo muito. Ardeu tanto que saiu lágrima. Como estou gestante de três meses, fiquei bem preocupada porque poderia ser algo prejudicial à minha saúde. Estou tendo que ferver a água para dar banho nas meninas para ver se o cheiro sai. Tá nítido que tem muito cloro na água”, disse.

No Subúrbio, mais precisamente em Fazenda Coutos I, Denise Araújo, 28 anos, também sentiu a diferença na água. Apesar de não verificar mudança na cor da água, os olhos dela também arderam durante o banho. “Eu achei até que pudesse ser algum problema meu, já que eu uso óculos, mas percebi que poderia ser da água porque quanto mais eu molhava, mais ardia”, contou.

Compartilhar