Pestana tem até junho para apresentar projeto à prefeitura de Salvador

Prefeito espera que novos empreendimentos possam impulsionar o turismo

O lançamento de um conjunto de condomínios na Orla de Ondina, no lugar do antigo Salvador Praia Hotel, chamou a atenção para a situação de dois gigantes da hotelaria na mesma região: o Othon Palace, que funcionava ao lado do Salvador Praia Hotel, em Ondina, e o Hotel Pestana, no Rio Vermelho, fechado há mais tempo.

O Othon encerrou as atividades em outubro passado e segue com futuro incerto. Procurada, a Prefeitura de Salvador, não tem informações detalhadas desde que o grupo entrou em recuperação judicial. Em relação ao Pestana, no Rio Vermelho, o prefeito ACM Neto disse que espera que os donos apresentem um novo projeto até junho ou tomará medidas mais enérgicas.

“O prazo deles está se esgotando e não vamos permitir que o semestre vire sem que eles tenham compromisso claro do que vão fazer com aquela área”, afirmou.

Já o secretário municipal de Cultura e Turismo, Cláudio Tinoco, acredita que a direção deve apresentar um projeto em breve.

Enquanto isso, a expectativa é que a construção do novo empreendimento no lugar no Salvador Praia Hotel deve impulsionar também o turismo. É o que espera o prefeito de Salvador, ACM Neto, já que um dos três prédios, com 235 apartamentos, será utilizado também como apart- hotel: “Essa Torre será muito importante para o turismo de Salvador porque estará dotada de serviços de hotelaria, e esses apartamentos ao longo de todo o ano poderão ser alugados para turistas do mundo inteiro”.

Cláudio Tinoco afirmou que a demolição elimina uma ruína numa das áreas mais importantes da cidade e em um dos polos hoteleiros mais consolidados, o Barra-Ondina. Ele acredita que o espaço de convivência que também será criado no local terá reflexos no turismo.

“Aquela é uma praia com potencial fantástico, por conta da localização. Estamos estudando quais são os equipamentos que podemos implantar naquele local que podem se somar à requalificação da região”, disse.

Nesta segunda-feira (13), sentado no banco do carro e enquanto observava o vai e vem dos operários que trabalhavam na demolição, o motorista por aplicativo Jorge Damasceno, 46 anos, comemorou a mudança. “A cidade vai ficar mais bonita e isso é bom para quem mora aqui e para quem vem conhecer. O turista quer ver o que é lindo. Foi uma boa ideia reformar esse espaço”, contou. Logo após o anúncio da demolição, os questionamentos sobre o que será feito com outros gigantes da hotelaria ganharam força.

Compartilhar