Chuva provoca alagamentos e deslizamentos em Salvador e Região Metropolitana

Em Lauro de Freitas, moradores foram resgatados de barco

O sábado começou chuvoso em Salvador e Região Metropolitana. A chuva que começou a cair ainda na noite de sexta-feira (10) seguiu firme durante a madrugada e causou diversos pontos de alagamento, como em Lauro de Freitas, onde moradores chegaram a ser resgatados de barco.

Entre as 17h da sexta e 5h deste sábado, regiões como Nova Brasília, Pituaçu e Mussurunga foram as áreas onde a chuva foi mais forte. Nova Brasília, onde o temporal foi mais intenso, chegou a acumular 130,4 mm no período de 12 horas. A previsão é que o tempo continue chuvoso durante todo o final de semana.

Segundo informações do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o tempo permanecerá nublado com pancadas de chuva e possíveis trovoadas durante todo o dia.

A temperatura pode variar entre 24º e 30º C. O clima chuvoso é normal para o período, segundo explicam os meteorologistas. “Maio é um período de chuvas em Salvador, então, esse tempo é normal. Do dia 1º até agora, choveu 30,6 mm (o ponto de pesquisa fica em Ondina), quando a média do mês é de 280 mm”, afirmou Cláudia Valéria, meteorologista do Inmet.

Ocorrências na capital
Trabalhando em regime de plantão, a Defesa Civil de Salvador (Codesal) registrou nesta madrugada, entre 0h e 8h deste sábado, um total de 46 solicitações.

As ocorrências foram: 30 alagamentos de imóvel, uma ameaça de desabamento, uma árvore ameaçando cair e duas árvores caídas; houve ainda um desabamento de muro, um desabamento parcial e dez deslizamentos de terra.

As equipes da Codesal permanecem de plantão 24 horas, atendendo às solicitações pelo telefone gratuito 199. “Tivemos essa madrugada muito chuvosa, e voltamos a apontar a necessidade de acionar a equipe da Codesal na perspectiva de qualquer risco”, alertou o superintendente da Defesa Civil, Sosthenes Macedo.

Lauro de Freitas debaixo d’água
A chuva também continuou castigando Lauro de Freitas, na Região Metropolitana, onde nessa pacientes que iam a uma unidade de saúde para fazer hemodiálise ficaram presos em um carro, numa zona alagada. Eles precisaram de ajuda dos bombeiros para sair dali. Equipes do 3º Subgrupamento de Bombeiros Militar (3°SGBM) resgataram uma cadeirante e outros pacientes no local.

Foto: Reprodução/Leitor

Depois da retirada, os bombeiros ainda observaram as condições de saúde dos resgatados e levaram os pacientes para a clínica para onde eles se dirigiam quando foram pegos pela chuva. Pacientes que estavam “ilhados” na unidade de saúde também foram socorridos pelos bombeiros, que os levaram de lá para suas residências.

A situação mais crítica foi no bairro de Portão, onde um vídeo divulgado nas redes sociais mostra o resgate de moradores em um barco, na 2ª Travessa Mário Ogando da Silva.

Um grupo de jipeiros também passou a noite resgatando moradores e veículos ilhados.

Lanchas e catamarãs
Por conta do mau tempo, ventos fortes e mar agitado na Baía de Todos-os-Santos, a travessia Salvador-Mar Grande está suspensa neste sábado (11). De acordo com a Astramab, as condições de navegação dentro da baía estão impróprias para as embarcações do sistema operar com segurança. A travessia só será retomada se ocorrer uma melhoria acentuada das condições do tempo, mas não existe até o momento nenhuma previsão neste sentido.Também não operam neste sábado as escunas de turismo que fazem o tradicional passeio pelas ilhas da Baía de Todos os Santos. Esse serviço está sem operar desde ontem.

Ja a travessia Salvador-Morro de São Paulo continua sendo operada pelos catamarãs, que fazem conexão em Itaparica. A parada é necessária porque as condições de navegação entre a capital e a Ilha de Tinharé estão impróprias em toda a extensão de aproximadamente 60 quilômetros. Na sexta-feira (10), a travessia para o Morro de São Paulo já havia acontecido com conexão.

Por conta disso, os  passageiros embarcam no Terminal Náutico e seguem de catamarã até Itaparica, de onde seguem de ônibus até a Ponta do Curral (Valença) e fazem uma pequena travessia até o Morro de São Paulo. Com conexão em Itaparica dura 3h20, cerca de uma hora a mais que a viagem direta de catamarã. As saídas hoje para o Morro ocorrem às 9h, 10h30, 13h e 14h.30.

Compartilhar