Agrishow alcança R$ 2,9 bilhões em negócios

Volume negociado cresceu 6,4% em relação à edição do ano passado

Em cinco dias a Agrishow atingiu R$ 2,9 bilhões em negócios. Realizada em Ribeirão Preto, interior de São Paulo, a feira registrou um crescimento de 6,4% no volume negociado, em relação ao ano passado. Além dos lançamentos das grandes máquinas para plantio e colheita no campo, a agricultura digital esteve entre os principais destaques desta edição.

“Com a Agricultura 4.0, vivemos uma verdadeira revolução, através da robótica, inteligência artificial e internet das coisas que, embarcadas nas máquinas e implementos, estão mudando significativamente o cotidiano do agronegócio e a produtividade no campo”, disse João Carlos Marchesan, presidente do Conselho de Administração da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (ABIMAQ).

Entre os mais vendidos estão os equipamentos que auxiliam no monitoramento do clima, como as estações meteorológicas da fabricante Metos Brasil, subsidiária de uma empresa austríaca. Com um preço médio de R$ 19 mil, elas estão sendo muito procuradas pelos agricultores por possuírem sensores que medem a chuva, a umidade relativa do ar, temperatura, radiação solar e a velocidade do vento sem necessidade de sinal de celular.

“É possível acoplar até quatrocentos sensores nas estações. Em alguns equipamentos nós contamos até com sensores de molhamento foliar, que indicam quanto tempo do dia a folha ficou úmida, e isso é muito importante para medir o risco de doenças. Tem uma porcentagem de acerto de até 70%”, explica Luciano Loman, diretor-executivo da empresa.

Atualmente existem cerca de 2 mil destas estações instaladas no Brasil, em fazendas, universidades e institutos de pesquisa.

Estações meteorológicas inteligentes para a lavoura foram alguns dos equipamentos mais procurados pelos agricultores. (Foto: iMetos AG)

Mais procurados

Comparada com o volume de negócios da Agrishow 2018, a procura por equipamentos de irrigação cresceu 35%, as máquinas voltadas para cultivo de grãos, frutas e café registraram crescimento de 5%, e os produtos direcionados para pecuária tiveram uma procura 4% maior.

Apenas os equipamentos de armazenamento registram queda, de 13% em relação ao ano anterior.

A 20ª Rodada Internacional de Negócios reuniu 52 empresas brasileiras com 15 compradores vindos da Argentina, Austrália, Chile, Colômbia, Etiópia, México, Nigéria e Peru. A ação de promoção comercial gerou mais de US$ 32,9 milhões, entre negócios fechados e contratos futuros, previstos para concretização nos próximos 12 meses. Neste segmento de negócio, o valor representa alta de 60% em relação a Agrishow do ano passado.

“Em seu Jubileu de Prata, a Agrishow 2019 fortaleceu, ainda mais, sua reputação de importante feira do agronegócio em nível mundial. Neste ano, esteve em destaque a conectividade e a incorporação de importantes segmentos da cadeia produtiva, como a área de insumos”, afirma Francisco Matturro, presidente da Agrishow.

Durante a feira, a Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) e a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) mantiveram a expectativa de crescimento de 10% nas vendas em 2019.

Um exemplo do otimismo que cerca o segmento é a fabricante Fendt, do grupo AGCO. Estreante no mercado brasileiro, a marca espera vender mais de 20 mil unidades.

O Trator Fendt 1000 Vario foi uma das máquinas lançadas na Agrishow. (Foto: Fendt AGCO)

“Os produtores rurais brasileiros estão procurando novas maneiras de aumentar a eficiência e os lucros em suas operações agrícolas e estamos aqui para ouví-los”, pontuou Eric Hansotia, CEO e Vice-Presidente Sênior da AGCO.

A feira também bateu recorde de público, ao registrar a visita de quase 160 mil pessoas, de todas as regiões do Brasil e de outros países da América do Sul. A próxima edição já está marcada para o período de 27 de abril a 1 de maio de 2020.

Compartilhar