Alice e Olívia são cotadas para disputar prefeitura

O partido "considera que o modelo de gestão atual da cidade está esgotado, aprofundou as desigualdades sociais e é inapetente em buscar novas alternativas econômicas para gerar emprego e renda para a população"

O PCdoB de Salvador aprovou na semana passada uma resolução que assegura a participação do partido com candidatura própria à disputa da prefeitura municipal nas eleições de 2020. Em nota, a sigla comunista afirmou que “considera que o modelo de gestão atual da cidade está esgotado, aprofundou as desigualdades sociais e é inapetente em buscar novas alternativas econômicas para gerar emprego e renda para a população”.

Considera ainda que o PCdoB “tem amplas condições de liderar novamente a frente de oposição e conta com a legitimidade das expressivas votações na cidade nas últimas eleições, além de ter mandatos de destaque nas Casas Legislativas, apoio dos movimentos sociais e é exemplo de gestão nos cargos que ocupou e ocupa na gestão pública”. A sigla pretende apresentar este pleito aos partidos de oposição e ao governador Rui Costa, responsável por obras estruturantes e projetos sociais que têm mudado a paisagem física e social de Salvador.

De acordo com Everaldo Augusto, presidente do Comitê Municipal, a sigla possui nomes preparados e projetos para Salvador.  “O PCdoB está com capital político que vem desde a candidatura de Alice Portugal, em 2016, e as expressivas votações dos nossos deputados e deputadas estaduais e federais em 2018, que colocaram Alice e Olívia Santana em posições de destaque. Dois nomes que são citados naturalmente na cidade quando o assunto é disputa para a gestão municipal”.

Procurada, Alice Portugal afirmou que não quer antecipar nenhum tipo de discussão a respeito do caso. “Isso está em debate. Não queremos antecipar essa discussão. Na única pesquisa existente na cidade, aparecemos em primeiro lugar. Sabemos que a votação que tivemos em Salvador e no interior do Estado nos credencia para tentar. Vamos conversar com a base do governo, mas está cedo. Primeiro vamos derrotar a Reforma da Previdência e fazer com que esses cortes sejam revertidos”, avalia, sem especular se será uma chapa pura ou composta com outra sigla. “Não queremos adiantar o debate, porque não podemos antecipar o que vai acontecer nesse cenário”.

Também procurada, Olívia afirma que a decisão não será tomada agora. “O PCdoB tomou essa decisão em reunião com a nossa participação e foi tratada essa questão de que há dois nomes dentro do partido aptos para entrar na disputa eleitoral. Nós só vamos decidir isso lá na frente, mas o que está posto é que o PCdoB trabalha com essas duas possibilidades. São os dois nomes que estão disponíveis e vamos caminhar para ver o que se evolui lá na frente”, diz. “O meu nome está posto e sendo analisado. Estou à disposição do partido”, completa, deixando claro que o partido está aberto para receber apoios de outras forças partidárias.

Críticas a Neto

Ainda na nota do PCdoB, Everaldo complementou com críticas ao gestor municipal, que considera aliado número um de Bolsonaro. “O prefeito está mais preocupado em apoiar a reforma que destrói a Previdência do que com a cidade. A vida está demonstrando que ele erra em apostar todas as fichas na realização de festas e obras pontuais na cidade, como estratégia de governo. O resultado está aí, todas as pesquisas colocam Salvador em destaque com os piores indicadores do país, quem duvidar basta ver as crianças sem matrícula na rede escolar municipal, os postos de saúde sem profissionais e sem remédios, os ônibus velhos e caros, o nada honroso título de campeã de desemprego, para ficar só em alguns itens”, sinalizou.

“Vamos iniciar os debates internos sobre pré-candidaturas capazes de aglutinar ampla frente pela reconstrução de Salvador e de apresentar projetos e alternativas para superar os impasses históricos vividos pela cidade. Vamos conclamar a militância e filiados a participar dos debates, palestras e atividades de rua que percorrerão os bairros da cidade debatendo com a população as questões centrais de um programa que resgate a cidadania, promova a inclusão social e coloque a população no centro das prioridades da gestão municipal.”, finalizou.

Compartilhar