Justiça determina que suspeito de matar mestre Moa do Katendê a facadas vá a júri popular

Homem é acusado de homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima. Crime ocorreu após discussão política, na madrugada após eleições, em outubro de 2018, em Salvador.

A Justiça da Bahia determinou que o barbeiro suspeito de matar o mestre de capoeira Moa do Katendê a facadas, em Salvador, vai à júri popular. Conforme o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), a data do julgamento ainda será agendada.

De acordo com informações do TJ, o Ministério Público da Bahia (MP-BA) e os advogados de acusação e defesa terão o prazo de cinco dias para apresentarem as testemunhas e juntar documentos que serão apresentados em plenário. O suspeito virou réu após a Justiça da Bahia aceitar a denúncia do MP, no dia 22 de outubro do ano passado.

Pela morte de Moa, Paulo Sérgio Ferreira de Santana é acusado de homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima. Já por ferir o primo da vítima, Germino do Amor Divino Pereira, de 51 anos, que tentou defender o capoeirista das agressões, o barbeiro é acusado de tentativa de homicídio duplamente qualificado.

Compartilhar