Em Salvador, Los Hermanos dão largada a turnê nesta sexta (5)

Banda vai apresentar pela primeira vez ao vivo a canção Corre Corre, lançada nesta semana

Para uns, a banda mais amada e cultuada de sua vida. Para outros, eles são bem chatinhos e os fãs do grupo são mais chatos ainda. Mas a verdade é que, mesmo depois de 14 anos sem lançar uma música inédita, a Los Hermanos ainda é capaz de mobilizar como poucos artistas seu séquito, que vai nesta sexta (5) à Fonte Nova, às 22h, para acompanhar o início da nova turnê do grupo.

Em Salvador, a última apresentação do quarteto foi em 2015. De lá para cá, quase nada mudou. Os integrantes são os mesmos: Marcelo Camelo (voz e guitarra), Rodrigo Amarante (voz e guitarra), Rodrigo Barba (bateria) e Bruno Medina (teclado).

E o repertório não deve ser lá tão diferente da última turnê, afinal, desde o hiato anunciado em 2007, o grupo não lançou novos álbuns. Para não dizer que não há nada novo, foi lançada nesta semana, para a nova turnê, a canção Corre Corre, que, para muitos, remete à Banda do Mar – que Marcelo Camelo integra junto com a mulher, Mallu Magalhães – pela sonoridade pop e por certa “leveza”, ao contrário das canções da Los Hermanos.

Depois de passar por Salvador, a banda chega a mais oito cidades: Fortaleza, Recife, João Pessoa, Belo Horizonte, Brasília, Rio, Curitiba e São Paulo. Na semana passada, o grupo se apresentou em Buenos Aires.

Mesmo espalhados por três países – Camelo vive em Portugal; Amarante, nos Estados Unidos; Barba e Medina, no Brasil -, os músicos dizem que mantêm contato entre eles, especialmente pelas redes sociais. Tanto que o vídeo de divulgação da nova turnê mostrava uma conversa real entre os músicos, quando eles selaram o acordo para os shows. “Hoje, estamos espalhados por três países, e é óbvio que isso dificulta nos encontrarmos com a frequência que gostaríamos, mas é comum nos visitarmos quando ocorre de estarmos na mesma cidade”, diz Bruno Medina.

O tecladista afirma que as conversas sobre as novas apresentações surgiram há cerca de dois anos, quando os quatro integrantes estavam no Rio de Janeiro e foram a um encontro na casa do empresário do grupo. “Cada um compartilhou suas restrições de data e batemos o martelo que o melhor momento seria em meados desse ano”, relembra.

Nova canção

Os fãs soteropolitanos terão o privilégio de ver o primeiro show da turnê e mais: pela primeira vez, o grupo vai apresentar a canção Corre Corre ao vivo, já que ela ficou de fora do show na Argentina.

“Não tem como fugir de passar pelo repertório de todos os discos, afinal hoje temos um público bastante abrangente no que diz respeito à faixa etária. Procuramos conciliar as músicas que temos prazer em tocar com as que são mais queridas por nossos fãs, assim todo mundo se diverte, né?”, comenta Medina sobre o repertório do show, baseado em quatro álbuns da banda: Los Hermanos (1999), Bloco do Eu Sozinho (2001), Ventura (2003) e 4 (2004).

Para Medina, o público dos novos shows deve se dividir em dois grupos: os veteranos e aqueles que estão indo pela primeira vez a uma apresentação do grupo. “Meu palpite é que essa grande renovação do público possivelmente ocorreu a partir da introdução de nossas músicas aos mais jovens por aqueles que nos acompanhavam na época em que os discos foram lançados. São pais que ouvem com filhos, irmãos mais velhos que mostram aos mais novos e há também muitos professores que trabalham nossas músicas em sala de aula”, palpita.

Os fãs de têm outra forma de matar a saudade: no domingo, será exibido, às 20h40, no cinema da Ufba o documentário Esse é Só o Começo do Fim da Nossa Vida, sobre a turnê de 2012.

Serviço: Arena Fonte Nova (Dique do Tororó, S/N). Sexta (5), 22h (abertura às 18h). Ingresso: R$ 200 | R$ 100 (arena); R$ 400 | R$ 200 (premium).

Compartilhar