Oposição quer investigar secretaria e ACM Neto reage

Sidninho já reuniu 13 assinaturas para comissão para esclarecer os supostos atos de irregularidades cometidos dentro da Secretaria Municipal de Saúde

O líder de oposição da Câmara Municipal de Salvador, Sidninho (Podemos),  já reuniu 13 assinaturas para a Comissão Especial de Inquérito (CEI) para esclarecer os supostos atos de irregularidades cometidos dentro da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). A pasta foi alvo da Operação Kepler, deflagrada na semana passada pela Polícia Federal.  “Compete à Câmara Municipal de Salvador fiscalizar e controlar, diretamente, os atos do Poder Executivo. Não se trata de convocação. É sim a instalação de uma Comissão Especial de Inquérito para que possa apurar ilícitos praticados pela Secretaria de Saúde Municipal”, justifica o líder.

Ontem, o prefeito ACM Neto falou sobre o assunto. “Isso é politicagem e eu não vou compactuar com politicagem da oposição, que deveria estar preocupada em ajudar Salvador, contribuir para que a cidade continue avançando e não querer fazer querer tumulto político, que é uma coisa absolutamente inadequada e inútil para o que o povo precisa”, disparou o gestor. Sobre os próprios aliados defenderem a investigação, o democrata se esquivou: “Por isso que você tem a Polícia Federal, a Controladoria Geral da União e a própria Prefeitura apurando absolutamente tudo”.

Sidninho afirma que boa parte dos vereadores têm interesse na formação da Comissão. “Não estamos encontrando dificuldade. São 14 assinaturas e já temos 13. Tenho certeza que os demais vereadores também entendem a necessidade da instalação da CEI”, avalia o líder oposicionista. A ideia, também, é tentar fazer uma convocação do titular da SMS, Luiz Galvão. “Em menos de uma semana, cinco secretários estiveram na Casa. Somos representantes do povo, seus empregados e temos satisfações a dar. Um escândalo como esse precisa ser explicado. O [Alberto] Pimentel foi convocado por muito menos. Não se pode tentar blindar secretário algum”.

101 preposições

Durante a sessão ordinária de ontem, no Plenário Cosme de Farias, a Câmara Municipal de Salvador aprovou 101 proposições apresentadas por vereadores. Conforme explicou o presidente da Casa, vereador Geraldo Júnior (SD), a votação aconteceu após acordo entre as lideranças partidárias. As matérias representam moções e requerimentos, além de projetos de resolução e indicação. A maioria das proposições foi aprovada em consenso, exceto o Projeto de Resolução nº 38/19, concedendo Título de Cidadão da Cidade de Salvador ao cônsul da Guiné-Bissau no Brasil, Adailton Maturino dos Santos, que recebeu parecer contrário de vereadores da bancada de oposição.

O vereador Marcos Mendes (PSOL) e a vereadora Ana Rita Tavares (PMB) declararam votos contrários aos projetos de Indicação nº 24/19 e nº 28/19, respectivamente.  Enquanto o legislador rejeitou a proposta de incluir familiares de pessoas em tratamento de câncer no Programa Minha Casa, Minha Vida; Ana Rita se contrapôs à transformação do Zoológico de Salvador em um santuário para animais.

Compartilhar