Após fala de Bolsonaro, Rui diz que “Carnaval é da família”

A fala foi motivada após um vídeo com conteúdo pornográfico postado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), em sua conta no Twitter

Um vídeo com conteúdo pornográfico postado, ontem, pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), em sua conta no Twitter, repercutiu entre os políticos baianos. As imagens mostravam dois homens dançando sobre um ponto de táxi em um bloco de rua no carnaval paulistano. Um deles coloca o dedo no ânus e se abaixa para o outro urinar nele.

O vídeo foi restrito depois pelo Twitter com alerta de conteúdo sensível. “Não me sinto confortável em mostrar, mas temos que expor a verdade para a população ter conhecimento e sempre tomar suas prioridades. É isto que tem virado muitos blocos de rua no carnaval brasileiro. Comentem e tirem suas conclusões (sic)”, escreveu o chefe do Palácio do Planalto.

Em sua conta no Instagram, o governador Rui Costa (PT) afirmou que o Carnaval é de todos, incluindo ‘da família’. “O Carnaval é massa. Não só porque é a maior festa popular do Brasil, como também porque fortalece nossa cultura, movimenta turismo e economia, gera trabalho, renda e principalmente muita alegria. No meu papel de governante e gestor, não poderia ter outra atitude que não exaltar o Carnaval e a Bahia, que mais uma vez deu um show e encantou o mundo. Nos últimos dias, vimos nas ruas famílias unidas curtindo… crianças, jovens, idosos, turistas, gente de todo lugar brincando na boa. E isso é o que queremos compartilhar. Vamos mostrar ao mundo que o Carnaval é da família, do respeito e da paz!”, postou.

Presidente do PSB na Bahia, a deputada federal Lídice da Mata criticou. “Ele (Bolsonaro) ainda não entendeu o que é a Presidência da República. Age como um deputado de baixo clero, daqueles que a gente evita até cumprimentar no Salão Verde. O Carnaval fomenta a cultura, a economia e gera renda para muitos abaixo da linha da pobreza. Mas há quem ignore tudo isso. Falta preparo para a função”, disse a socialista, em sua conta no Twitter.

Na mesma linha, o deputado federal Jorge Solla (PT) disse o caso foi uma “demonstração de descontrole emocional” do presidente Bolsonaro. “Traço de personalidade de menino mimado que ele tão bem representa. Vaiado e alvo de protestos em todo o Brasil durante carnaval, tentou se vingar do carnaval. Esqueceu que é presidente do Brasil, faltou com decoro, ofendeu nosso povo e nos transformou numa vergonha internacional”, declarou. Nas redes sociais, internautas chegaram a pedir o impeachment do presidente. Presidente nacional do DEM, o prefeito de Salvador, ACM Neto, evitou falar sobre o caso. “Me recuso a opinar sobre isso. Honestamente, o governo começou há dois meses e pouco e já estão falando de impeachment? Pelo amor de Deus”, disse.

Do meio jurídico, o procurador do Ministério Público da Bahia (MP-BA), Rômulo Moreira, disse que há elementos para o impeachment de Bolsonaro. “A mim me parece que foi sim infringida a lei e o Presidente deveria ser representado ao Parlamento por crime de responsabilidade”, escreveu, em sua conta no Facebook.

Compartilhar