Secretário culpa governo estadual pela polêmica

O secretário Alberto Pimentel culpou o governo de Rui Costa e seus aliados pela crise gerada em torno dele

A Câmara de Salvador incendiou, ontem, com duros ataques dos vereadores da base e da oposição ao secretário municipal de Trabalho, Esportes e Lazer (Semtel), Alberto Pimentel. Ele está envolvido em uma polêmica desde que pôs o policial militar Jorge Bruno Guimarães para trabalhar na estrutura da pasta, sem nomeá-lo. Além disso, o PM é réu por supostamente violentar a ex-namorada. A ação tramita na Justiça de Feira de Santana.

Pimentel também foi alvo de críticas por nomear na Semtel dois membros da Juventude do PSL, Micael Thomas e Murilo Nascimento, que fizeram postagem nas redes sociais com ataques ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, ao DEM (que é presidido nacionalmente pelo prefeito de Salvador, ACM Neto), e, além disso, exaltar ditadores como Emílio Médici e Castelo Branco. Por causa disto, o líder do governo na Câmara de Salvador, Henrique Carballal (PSL), pediu a exoneração dos jovens. “Não posso tolerar um membro dessa gestão fazer isso. Solicito que o prefeito demita imediatamente uma pessoa que faz apologia ao fascismo”, declarou. O vereador Maurício Trindade (DEM) chegou a dizer que “um grupo fascista assumiu uma secretaria de Salvador”.

Da bancada independente, o vereador Edvaldo Brito (PSD) também criticou. “Não se pode fazer nenhuma elegia, nenhum louvor a fascismo, a comunismo”, afirmou. O oposicionista Carlos Muniz (Podemos) ironizou. “Duas pessoas tiveram cargos nomeados por Alberto Pimentel na Semtel fizeram postagens, em suas redes sociais, favorecendo o fascismo e com críticas contra os líderes do [DEM no] Congresso Nacional os chamando de bandidos piores do que Temer. Eu perguntei aos membros do DEM se os dois rapazes têm razão, pois se eles têm, não teria como eles estarem em cargos daquele tipo, mas um muito melhor. Ou se eles estarem mentindo, teriam que ser demitidos. Eu cobrei isso aqui. Até agora não tivemos retorno”, disse.

Ontem, o secretário culpou o governo de Rui Costa (PT) pela crise. “Logicamente [que o governo tem a ver com as polêmicas]. A gente vê algumas figuras da política aqui de Salvador namorando politicamente com o governador Rui Costa. Na minha opinião, com certeza tem o dedinho do governo do Estado”, disse. O secretário não citou nomes, mas, nos bastidores, comenta-se que o presidente da Câmara de Salvador, Geraldo Júnior (SD), tem se aproximado do governador.

Compartilhar