Rui e Neto discutem mobilidade em reunião na governadoria

Tanto o governador como o prefeito não quiseram dar declarações após uma reunião realizada na tarde de ontem, na sede da Governadoria

O governador Rui Costa (PT) e o prefeito ACM Neto (DEM) não quiseram dar declarações após uma reunião “secreta” (que acabou vazando para a imprensa) realizada na tarde de ontem, na sede da governadoria, localizada no Centro Administrativo da Bahia (CAB). O principal tema do encontro, marcado na semana passada na Lavagem do Bonfim, foi a mobilidade na cidade.  Representando o Estado, além de Rui, também estava presente o chefe da Casa Civil, Bruno Dauster. Já representando a prefeitura, estavam os secretários municipais Fábio Mota, de Mobilidade, e Luiz Carreira, da Casa Civil. O chefe de gabinete, Kaio Moraes, também participou do encontro.

No final do ano passado, Dauster e Mota travaram um embate por meio da imprensa a respeito de quem seria a responsabilidade pela retirada das linhas de ônibus na capital baiana em função da integração do metrô e do futuro VLT do Subúrbio. Os rodoviários de Salvador ameaçam fazer diversas manifestações pela cidade caso as reivindicações da categoria não fossem atendidas. Os trabalhadores temem demissões em massa com a redução das linhas de ônibus em função do metrô e do VLT do Subúrbio.

Em entrevistas, Mota disse que o governo “abriu um procedimento para ter uma discussão no Ministério Público pedindo a retirada das linhas troncais, que fazem concorrência com o metrô”. Dauster, por sua vez, afirmou que “o Governo do Estado entende que a mobilidade urbana deve funcionar em um sistema de rede, através de serviços complementares, integrados, e não sobrepostos”.

Conforme o Sindicato dos Rodoviários, mais de mil trabalhadores podem perder os postos de trabalho por causa da eventual retirada de 100 linhas que fazem o mesmo trajeto do metrô. A medida impacta fortemente na categoria, penalizada com a implantação dos novos modais. Levantamento do Sindicato, em novembro do ano passado, aponta que mais de 3 mil rodoviários já perderam o emprego após a licitação do novo sistema de transporte da capital e da chegada do metrô. De acordo com a entidade, cem linhas de ônibus representam a retirada de circulação de 200 veículos e demissão de mais de mil trabalhadores.

Secretariado – Anteontem, Rui Costa se reuniu com aliados para tentar fechar a reforma do secretariado. Tudo indica que o PDT deve manter a Secretaria de Agricultura (Seagri). O PR também deve manter seus respectivos espaços. Já o PT ou o PP devem ficar com a pasta de Desenvolvimento Econômico (SDE). Durante o programa “#PapoCorreria”, transmitido pelo Facebook, o petista declarou que teve uma reunião com o ex-prefeito de Guanambi, Charles Fernandes (PSD), nessa semana. Ainda durante o programa, ele reafirmou que fechará as mudanças no secretariado até amanhã. “Se mudar demais, atrapalha o funcionamento da máquina pública. É melhor demorar mais e mudar pouco do que demorar pouco e trocar o secretariado todo mês”, afirmou.

Comenta-se que a demora para o anúncio da equipe da nova gestão deve-se, sobretudo, à queda de braço protagonizada pelo PP e pelo PSD por espaços. Os progressistas, liderados pelo vice-governador João Leão (PP), estariam de olho nas secretarias de Desenvolvimento Econômico (SDE) e de Infraestrutura (Seinfra). Atualmente, a primeira está sob o comando do PT e a segunda, do PSD.  A SDE também pode ficar com o PDT, que manterá o controle da pasta da Agricultura (Seagri) caso não seja contemplado na “dança das cadeiras”.  Rui Costa já confirmou que permanecem na gestão os secretários André Curvello (Comunicação), Manoel Vittório (Fazenda) e Jerônimo Rodrigues (SDR). Este, porém, deve ser realocado em outra pasta.

Compartilhar