Réu por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, Haddad não esquece Bolsonaro

Em vídeo gravado nesta terça-feira (22), Fernando Haddad (PT), candidato derrotado à presidência da república nas últimas eleições, acusou a família Bolsonaro de ter ligações com milícias criminosas.

A acusação infundada foi feita após um evento organizado pelo núcleo do PT em Lisboa, Portugal. O pupilo de Lula afirmou que “a relação da família Bolsonaro com milícias é histórica”.

Haddad também fez provocações ao senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL): “se o filho [Flávio Bolsonaro] conseguir explicar essa evolução patrimonial ele deveria substituir o Paulo Guedes, porque ele seria um gênio. Fica aqui o compromisso de que nós não o acusaríamos de nepotismo”, disse Haddad.

No final do ano passado o petista virou réu por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, após o juiz Leonardo Barreiros, da 5ª Vara Criminal da Barra Funda, aceitar a denúncia proposta pelo promotor Marcelo Mendroni, do Gedec, Grupo Especial de Delitos Econômicos.

A denúncia do Ministério Público partiu de delações feitas na Operação Lava Jato. Além de Haddad, outras cinco pessoas viraram rés na ação, incluindo o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto e o doleiro Alberto Youssef.

Assista:

Compartilhar