Rui diz que anunciará parte do secretariado na próxima semana

Até o momento, apenas o secretário estadual de Comunicação, André Curvello, está garantido na administração

O governador Rui Costa (PT) prometeu, ontem, anunciar parte do secretariado do segundo mandato na próxima segunda-feira (31). Segundo o chefe do Palácio de Ondina, os nomes que serão divulgados são os que já estão no governo e vão permanecer. Até o momento, apenas o secretário estadual de Comunicação, André Curvello, está garantido na administração.

Rui Costa afirmou, ainda, que já conversou com os líderes do PP, Podemos, PSD, PSB e que conversaria, ontem, com os do PCdoB para definir a nova equipe. “Até os primeiros dias de janeiro, nós concluiremos as conversas. Aquilo que for, eventualmente, sofrer modificações ou rodízio de pasta, só anuncio na primeira quinzena de janeiro”, declarou, durante visita as obras da Linha Azul, corredor transversal que vai ligar o bairro de Patamares, na orla Atlântica de Salvador, ao Subúrbio Ferroviário.

Nos bastidores, há rumores de que Fábio Vilas Boas (Saúde), Manoel Vitório (Fazenda) e Marcus Cavalcanti (Infraestrutura) vão permanecer nos cargos. Na semana passada, Rui Costa já tinha dito que deve convocar deputados federais para integrar o novo secretariado a fim de que suplentes desembarquem em Brasília. Neste cenário, Nelson Pelegrino e Josias Gomes, ambos do PT, são cotados para retornar ao governo. Assim sendo, dois “reservas” de deputados Joseildo Ramos (PT) e Paulo Magalhães (PSD) podem virar titulares.

Atual líder do PT na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Joseildo saiu candidato a deputado federal após articulação de Rui Costa, que queria deixar uma vaga aberta no Legislativo baiano para o ex-prefeito de Serrinha, Osni Cardoso (PT), que acabou sendo eleito. O governador e Joseildo integram a mesma corrente petista Reencantar. Segundo aliados, Nelson Pelegrino teria interesse em ficar em Salvador para pavimentar uma possível candidatura a prefeito em 2020. Ele, inclusive, já manifestou o desejo de competir novamente pelo Palácio Thomé de Souza.

“Eu posso ser candidato. Meu nome está à disposição do partido. […] O meu nome é o nome que tem mais acúmulo [de capital eleitoral] em Salvador no PT hoje. Portanto, tenho legitimidade para colocar o nome. Agora, vamos sentar para discutir. O que defendo é que o PT tenha candidato”, declarou recentemente. Ontem, o governador também falou, ainda, sobre a decisão de dar suplementação para o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), a Assembleia Legislativa e Ministério Público. Segundo Diário Oficial publicado no final de semana, o governo repassou R$ 149 milhões para a Corte e R$ 67 milhões para AL-BA. O recurso para o MP-BA não foi divulgado. Rui Costa, que assegurou antes que não daria os recursos, disse que mudou de posição por causa do “sentimento do Natal”.

“Passamos os valores correspondentes ao salário. Até porque, nós não queríamos ver o Natal e o Ano Novo de funcionários sem receber salário no final do ano. Nós passamos porque o governador tem que cuidar de todos. Se eu não passo, os três poderes ficariam sem pagar o salário em dezembro”, acrescentou. O chefe do Palácio de Ondina, ainda, voltou a cobrar recursos do governo federal. “Eu estou tentando ainda receber, espero que consiga receber ainda o que nós fizemos de obra. […] Por exemplo, essa obra [da Linha Azul] que vocês viram aqui, mais a [avenida] 29 de março, nós temos aqui R$ 150 milhões dessa obra que eu antecipei e não recebi ainda. Do metrô, nós temos R$ 180 milhões que nós não recebemos ainda e por aí vai”, pontuou.

Compartilhar